RFID Noticias

Fabricante de bolsas evita falsificações e mercado cinza

A Bagjack está usando o software de autenticação da Serfides para acompanhar produtos enviados de sua fábrica alemã e que circulam dentro das lojas

Por Claire Swedberg

24 de outubro de 2013 - A fabricante de malas de correspondência alemã Bagjack implantou uma nova solução baseada em RFID para evitar falsificação, da startup Serfides, de Berlim. Assim, a empresa pode confirmar a autenticidade das mercadorias e identificar os casos em que o produto pode ter sofrido um desvio inesperado antes de chegar aos consumidores. A Bagjack testou a tecnologia em seus produtos com tecnologia Near Field Communication (NFC) e etiquetas RFID em sua fábrica. Agora, a empresa tem a intenção de instruir alguns dos seus distribuidores no Japão, assim como seus próprios parceiros internacionais, a começar a ler as tags, para conferir a autenticidade dos produtos.

A Serfides foi fundada há um ano, depois de trabalhar no desenvolvimento do software contra a falsificação, que tem dois propósitos principais: autenticar produtos e rastrear os movimentos dos bens através da cadeia de abastecimento. Para o recurso de autenticação, o software Serfides atribui a cada item um código de validação específico que está emparelhado com um número de identificação único codificado numa tag RFID passiva HF ou de UHF ou em um etiqueta impressa com uma matriz de dados 2D ou QR code. Esse código de validação é criptografado e armazenado não só no chip da etiqueta, mas também no software operacional da Serfides, no banco de dados do usuário. Quando um interrogador lê a ID da tag, também capta o seu código de validação. O software Serfides opera no banco de dados do usuário, em seguida, decifra o código. Se o código não corresponde a uma identificação exclusiva, o usuário descobriu uma falsificação.

Richard Doll, da Serfides
Pode ser difícil para os fabricantes, varejistas ou clientes determinarem se uma tag RFID é clonada. Portanto, a empresa que lê uma tag clonada de um produto falsificado pode não perceber se esse item é realmente uma falsificação. A solução Serfides se destina a impedir tal clonagem da tag, de acordo com Richard Doll, diretor da Serfides. Além disso, diz, a solução foi projetada para verificar o histórico de movimento de um produto.

A Bagjack produz malas de mensagem robustas que inicialmente preveem uso em bicicletas e se tornaram populares a vários clientes em todo o mundo. A empresa começou a oferecer produtos mais baratos fabricados na Ásia, para fins de mercado de massa. A falsificação e o mercado cinza, que redirecionam seus bens através dos canais errados, são ambos uma preocupação para a empresa, especialmente no que diz respeito aos seus produtos personalizados com preços mais elevados, que ainda são fabricados na Alemanha.

A empresa optou por utilizar etiquetas HID Global NFC RFID em produtos fabricados na Alemanha e os QR codes em produtos fabricados na Ásia. A Bagjack tinha considerado utilizar tags RFID UHF, diz Doll, mas optou pelas tags NFC para usar com telefones NFC para interrogar, em vez de grandes leitores.