RFID Noticias

Fjord Line dinamiza entrada de passageiros em balsas

Com bilhetes RFID, os usuários acessam suas cabines e, no futuro, terão serviços adicionais como refeições e acesso à Internet por meio da tecnologia

Por Claire Swedberg

16 de outubro de 2013 - A empresa norueguesa de navios e cruzeiros Fjord Line está empregando a tecnologia de identificação por radiofrequência para gerenciar a emissão de bilhetes e facilitar o acesso de passageiros às balsas. A companhia planeja estender o uso da tecnologia para identificar e confirmar os serviços de bordo dos passageiros, como restaurantes, bares, etc. Os tickets e sistemas de acesso com RFID, fornecidos pela empresa de TI Carus, inclui etiquetas RFID passivas de alta frequência (HF), de 13.56 MHz, compatíveis com a norma ISO 14443, incorporadas nos bilhetes de papel para passageiros, além de leitores portáteis utilizados pelos funcionários na entrada da balsa e fechaduras RFID em todas as 300 cabines do navio.

Em julho de 2013, a Fjord Line instalou a solução no mais novo barco da empresa, MS Stavangerfjord, que viaja entre a Noruega e a Dinamarca, enquanto a segunda nova balsa está agora sendo equipada com a tecnologia, e planos para colocar em funcionamento em abril de 2014. A Fjord Line oferece transporte para turistas e viajantes. O MS Stavangerfjord, que viaja entre Bergen, Stavanger e Langesund, na Noruega, bem como Hirtshals, Dinamarca, tem capacidade para 1.500 passageiros e 600 veículos, com 306 cabines e cinco restaurantes ou bares.

MS Stavangerfjord
A Carus forneceu um sistema de reserva e emissão de bilhetes para a Fjord Line para todas as suas balsas desde 2001, diz Anders Rundberg, CEO da Carus. O sistema da Carus administra pagamentos, a impressão de bilhetes e a contabilização de reservas. Na Fjord Line há duas balsas, o MS Stavangerfjord e o Fjord Line Expresso, onde os passageiros utilizam um bilhete de papel com código de barras para o embarque e um cartão de tarja magnética separado para acesso às beliches. Cada cliente apresenta seu ticket com o código de barras para o pessoal e o bilhete é lido por um scanner de código de barras. Esse processo permite que a balsa crie um registro de todos os bilhetes recebidos antes de deixar o cais. Cada passageiro usa um cartão de tarja magnética para entrar numa cabine particular, já que a viagem pode durar vários dias. Até quatro camas são instalados dentro de cada cabine e, portanto, vários passageiros compartilham um mesmo espaço.

Este sistema de códigos de barras funciona bem, diz Linda Selle, gerente de TI da Fjord Line. No entanto, a RFID trouxe vários benefícios. Por exemplo, com a RFID, uma maior quantidade de dados pode ser relacionada a cada bilhete, permitindo assim que um membro do pessoal equipado com um leitor portátil carregado com o software do sistema acesse essas informações.