RFID Noticias

Empresa brasileira testa solução para cadeia do frio

Locais como caminhões refrigerados e câmaras frias receberam leitores RFID para aumentar a eficiência do controle sobre cargas geladas, com tags

Por Edson Perin

25 de setembro de 2013 - A Tevec Metodologias e Sistemas Ltda está testando na prática um sistema para gestão da cadeia do frio, com base em tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID), para monitorar cargas cujas temperaturas têm de ser mantidas em uma faixa de segurança para sua preservação. Com o novo sistema, chamado de Cold Control, a partir do mapeamento das etapas de produção de cada transportador ou operador logístico é desenvolvido um novo processo para fixação de tags nas mercadorias. O piloto será apresentado durante o RFID Journal LIVE! Brasil, de 6 a 7 de novembro, no Espaço APAS, Centro de Convenções, em São Paulo.

O transporte de mercadorias perecíveis, incluindo materiais biológicos, produtos frescos, congelados, farmacêuticos ou outros sensíveis a variações de temperatura, apresenta desafios únicos. Os embarques da cadeia do frio requerem acompanhamento rigoroso da temperatura para manter a qualidade e a integridade dos produtos. Além disso, uma das principais questões vividas pelos gerentes da cadeia do frio é o rastreamento específico de produtos no picking e em outras operações logísticas, bem como conhecer a variação de temperatura de cada item, em vez de obter somente os dados gerais.

A antena RFID foi afixada dentro de um modelo de carreta que serve para o transporte de laticínios, carnes e até fármacos
A Tevec, um provedor brasileiro de tecnologia para logística, usa modelos de termodinâmica e ferramentas de análise de dados para melhorar a rastreabilidade e a confiabilidade na cadeia de suprimentos. Assim, o rastreamento baseado em RFID está sendo utilizado em itens específicos, individualmente, ao invés de monitorar apenas caminhões e armazéns, o que fornece informações precisas para os gestores da cadeia do frio.

O processo de inserção de tags tem por objetivo garantir que todo item transportado seja identificado nos portais instalados em armazéns, veículos de qualquer porte e outros pontos da cadeia logística. Segundo Sérgio Galvão, consultor da Tevec, desta forma a tecnologia permeia todo o ambiente do cliente, e todas as informações dos produtos transportados são gravadas e exibidas na Console de Monitoração e Acompanhamento. Esta ferramenta apresenta dados de cargas transportadas, posicionamento geográfico por GPS e os dados de temperatura durante toda a cadeia logística por onde cada produto passou.

"No piloto que estamos executando", afirma Galvão, "não havia um processo integrado de gerenciamento e controle da temperatura. Os caminhões refrigerados continham fitas térmicas que marcavam a temperatura máxima e mínima atingidas numa rota e um sistema convencional de rastreamento veicular. Os armazéns contavam com sistemas de WMS conectados com os equipamentos de refrigeração, o que proporcionava um controle adequado da temperatura dos ambientes indoor". No geral, acrescenta, o processo anterior ao sistema Cold Control era como o da maioria dos utilizados por operadores logísticos: eficiente em processos isolados, mas sem nenhum tipo de integração.