RFID Noticias

Sistema permite rastreamento de ativos de cidades

Tanto serviços públicos como empresas e hospitais podem monitorar equipamentos por um leitor portátil com software embarcado, sem necessidade de back-end

Por Claire Swedberg

3 de setembro de 2013 - Municípios normalmente têm centenas de milhares de bens que devem gerenciar e manter em bom funcionamento, incluindo hidrantes, sinalização e semáforos. Os funcionários das prefeituras são frequentemente enviados para realizar inspeções, registrar os resultados e indicar qualquer trabalho de manutenção necessário. Frequentemente, estão equipados com uma caneta e um bloco de papel, e as informações coletadas devem ser digitadas manualmente em um computador porteriormente.

Este processo é demorado e propenso a erros. No entanto, a empresa provedora de soluções RFID William Frick & Co. lançou um sistema de identificação por radiofrequência que identifica itens a serem inspecionados e monitorar eletronicamente os serviços de manutenção realizados em um determinado ativo para municípios ou empresas de serviços públicos. O Smartcat Asset Tracking System consiste em um leitor robusto de tags RFID passivas UHF, software carregado no dispositivo para gerenciar os dados coletados e etiquetas SmartMARK. Equipamentos periféricos como um suporte para carregamento USB, uma bateria extra e um guia do usuário também estão incluídos no kit.

Dispositivo portátil Smartcat interroga a tag RFID de um hidrante

O dispositivo portátil vem com um leitor de código de barras, uma câmera digital, funcionalidade de GPS e um teclado para entrada de dados, juntamente com o leitor RFID passivo UHF. Com a solução ativada, cidades ou empresas de serviços públicos podem simplesmente associar tags aos itens que desejam gerenciar e, em seguida, começar a ler as etiquetas, sem necessidade de o departamento de TI realizar a integração de software.

Durante os últimos anos, a Frick descobriu que muitos clientes potenciais, especialmente os municípios, pretendiam aplicar suas etiquetas UHF robustas nos seus bens para fins de inspeção e gerenciamento de inventário. No entanto, relata a empresa, as aprovações necessárias para o departamento de TI integrar a tecnologia com o software existente criava obstáculos muitas vezes.

"Já havia entendimento de que haveria ROI [retorno sobre investimento] no uso de tags, mas a implantação de um sistema de RFID exigiria o departamento de TI", diz John Poplawski , gerente de desenvolvimento da William Frick. Então, a Frick - que anteriormente fornecia etiquetas RFID - criou leitores com uma solução completa de baixo custo, que não necessitasse de integração com sistema de gestão próprio do usuário.

A tecnologia está sendo testada por um município dos Estados Unidos. O uso de RFID oferece uma solução mais eficiente para a coleta de dados, diz David Trebacz, diretor de marketing da William Frick. Municípios menores ou de médio porte designam pessoal equipado com um livro ou um bloco de papel para visitar hidrantes ou outros ativos, anotar detalhes e, em seguida, trazer a papelada para o escritório para preencher uma planilha ou outro software. "Queríamos eliminar a necessidade de papel", diz Poplawski.