RFID Noticias

Escola instala RTLS para dar segurança aos alunos

Os funcionários da instituição usam crachás podem ser acionados para pedir ajuda no caso de uma ameaça à segurança ou emergência médica

Por Claire Swedberg

18 de julho de 2013 - Na Skyview High School, em Idaho, nos Estados Unidos, quando os professores e funcionários têm uma possível emergência, eles usam um sistema de localização em tempo real (RTLS) da Ekahau para indicar o tipo de problema e sua localização, tornando o tempo de resposta mais rápido do que os métodos tradicionais de fazer chamadas telefônicas. A solução consiste em tags RFID baseadas em Wi-Fi, com beacons infravermelho (IR) e o software Vision da Ekahau.

O tiroteio de dezembro de 2012 na Sandy Hook Elementary School, bem como outros incidentes mortais em outras escolas, tinham preocupado Bradley Ford, gerente de recursos de segurança da Skyview. Assim, ele passou a procurar medidas preventivas, o que o levou a conversar com o conselheiro da escola sobre possíveis soluções. "Estávamos perguntando: 'O que estamos fazendo para manter nossos filhos seguros?'" Um vizinho de Ford pesquisou várias tecnologias e sugeriu uma solução RTLS com etiquetas RFID que o pessoal poderia usar para pedir ajuda quando necessário.

Crachá com tag B4 da Ekahau

"Queríamos algo que pudéssemos colocar nas mãos de cada professor, algo de acesso imediato", diz Ford, "diferente de um botão de pânico que precisa ser montado em uma parede ou em uma porta”.

A tecnologia RTLS da Ekahau, observa Mark Norris, presidente da Ekahau, não foi projetada especificamente para escolas, mas é usado em uma variedade de locais de trabalho, incluindo hospitais. No entanto, está sendo empregado pela alemã Friedrich-von-Canitz School, para fornecer aos professores um meio de pedir ajuda de qualquer local dentro da escola, simplesmente pressionando um botão ou um interruptor em um crachá. A Skyview estava interessada nesta solução e optou por instalá-la junto com balizas do IR, a fim de ajudar seu diretor de recursos e outros membros da equipe a identificar não apenas a natureza de uma emergência, mas também a sua localização.