RFID Noticias

Montadora testa gestão de pátio da T-Systems

Solução RFID aumenta visibilidade sobre a frota de veículos fabricados, agiliza localização no pátio, reduz o tempo de frete, entre outros benefícios

Por Edson Perin

11 de julho de 2013 - Os carros de hoje têm muita tecnologia por dentro, mas também no seu processo de fabricação e logística. Um exemplo disto está sendo dado por uma montadora instalada no Brasil que resolveu testar o que há de mais sofisticado para Gestão de Pátios de veículos, neste caso, recém-fabricados. A empresa não autorizou a divulgação de sua marca, mas já possui um material completo sobre o investimento realizado em uma solução da T-Systems para América Latina, baseada em identificação por radiofrequência (RFID).

O sistema iVES Yard Manager funciona sob demanda, por cloud computing (computação em nuvem, ou seja, pela internet), assim, o cliente não precisa se preocupar em comprar e instalar tags ou leitores de RFID. Os desafios de fazer o sistema funcionar de acordo com a necessidade do cliente ficam a cargo de uma equipe especializada tanto em identificação automática como em radiofrequência. Os leitores e as tags são multimarcas e o software que permite a integração com os sistemas do usuário são da T-Systems. Um projeto deste pode ser implantado em 20 dias, com impressão de tags personalizadas, coletores com GPRS e GPS e diversos portais fixos, incluindo bi-direcionais, nos pátios.

Carlos Ribeiro, da T-Systems

“Nosso intuito é oferecer ao cliente total foco nos benefícios da tecnologia, sem ter de se preocupar com o funcionamento e implantação dela”, explica Carlos Ribeiro, líder de Inovação Máquina para Máquina, da T-Systems, gigante alemã de serviços de Tecnologia da Informação e de Comunicações (ICT), pertencente ao grupo Deutsche Telekom.

De acordo com Ribeiro, o conceito de Gestão de Pátio (ou Yard Management) se aplica a todas as operações que recebem veículos externos ou não, que devem permanecer por um período de tempo dentro da unidade realizando alguma atividade e, após este período, podem sair. “É um dos maiores problemas que existem dentro das empresas que tem esta operação”.

O uso da RFID neste caso visa a oferecer benefícios como a identificação automática dos veículos por pontos de controle; redução do tempo de permanência do equipamento dentro das unidades; gestão do lead time entre os pontos de controle; integração com o sistema produtivo para controle de entrega; monitoramento em tempo real dos equipamentos dentro do pátio, com tecnologia de RTLS (Localização em Tempo Real); controle de permanência dos equipamentos dentro da planta; e gestão de controle de multas para os casos de atraso na devolução ou liberação de equipamentos.

“Existem dois tipos principais de aplicações para Gestão de Pátio: estoque de veículos e controle de entrega”, explica Ribeiro. De acordo com o executivo da T-Systems, 80% das empresas não têm visibilidade de sua área de pátio e, atualmente, o número de erros no posicionamento de veículos nas docas chega a 20%. “Estudos mostram que em uma viagem de três dias apenas oito horas são viajando: as demais são dos equipamentos aguardando dentro dos pátios”, acrescenta.

O tempo de busca de um veículo novo dentro de um pátio de uma montadora pode ser superior a dois dias e os veículos, em média, chegam a permanecer até 50% mais tempo nos pátios do que o necessário.

A tecnologia RFID oferece ganhos importantes para as empresas na Gestão de Pátio. Em primeiro lugar, a total automação da entrada de dados no sistema e o controle em tempo real das quantidades de veículos nos pátios. O sistema favorece ainda a geração dos lead times de cada veículo entre os pontos de controle. A solução da T-Systems utiliza tags passivas retornáveis ou “one-way” e o módulo de gestão de endereçamento indica a posição do veículo, área ou pátio.

O endereçamento é realizado por tags de endereço ou posição de GPS, e há alarmes pré-programados de acordo com características especificas dos veículos. O controle do fluxo de veículos aciona alarmes em caso de quebra do fluxo e, por ser altamente escalável, a solução pode iniciar com poucos pontos de leitura e permite adicionar mais pontos posteriormente, sem a necessidade de novos desenvolvimentos.

  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »