RFID Noticias

DHL controla temperatura de remédios

A solução usa tags RFID UHF com sensores embutidos e permite monitorar os produtos durante todo o transporte

Por Claire Swedberg

28 de junho de 2013 - A DHL Global Forwarding, especialista por transporte marítimo e aéreo pela Deutsche Post DHL, está comercializando o chamado DHL Thermonet, um serviço de frete aéreo baseado em RFID que permite aos clientes monitorar as temperaturas dos seus produtos em todo o processo de logística, entre estes medicamentos ou artigos biomédicos. A tecnologia já foi testada por várias empresas globais e agora está disponível para os clientes da DHL em todo o mundo, diz David Bang, CEO da LifeConEx, subsidiária de “serviços de cadeia fria” da DHL Global Forwarding que criou Thermonet.

A tecnologia está em desenvolvimento há muitos anos, segundo relatou Bang, com o objetivo de garantir a integridade das remessas dos clientes. Em 2005, a DHL e a Lufthansa fundaram a LifeConEx para desenvolver uma plataforma de tecnologia capaz de ajudar os clientes a monitorar as temperaturas de mercadorias em trânsito, especificamente os de setores como ciências da vida e saúde, que fabricam produtos altamente sensíveis.

Em uma das estações de leitura SmartSensor da DHL, um funcionário em uma sala fria lê os dados de temperatura armazenados na etiqueta RFID, ligada a uma caixa de transporte, numa bolsa de plástico

Em 2007, a DHL desenvolveu uma tag com sensor UHF para clientes de produtos farmacêuticos, em parceria com a IBM, Intel, NXP Semiconductors e SAP, que foi testada por várias empresas farmacêuticas. A DHL optou por não adotar o sistema, no entanto. A solução LifeConEx baseia-se, em parte, na primeira geração de etiquetas com sensores.

Em 2011, a DHL comprou a participação da Lufthansa na LifeConEx, que, em seguida, continuou o desenvolvimento de uma solução para gerenciamento de temperatura com base em tecnologia. Isto incluiu a criação de programas que armazenam e interpretam os dados recolhidos e alertam os clientes no caso de as medições de temperatura excederem certos parâmetros. O resultado, segundo as empresas, é o serviço Thermonet DHL.

Além de hardware e software, o serviço envolve os Global Proactive Monitoring & Intervention Centers da DHL, para monitorar os dados do sistema Thermonet DHL e transmite essa informação, quando a intervenção é necessária, para os centros locais da DHL (Certified Life Sciences Stations) para manuseio, armazenagem e transporte de remessas do cliente. Por exemplo, se a temperatura tornou-se muito alta, uma estação de Ciências da Vida receberá uma notificação do problema, e pode, então, enviar pessoal para visitar o local onde se encontram as mercadorias para descobrir a causa e tomar providências.