RFID Noticias

Novas tags da Alien atendem variados ambientes de varejo

A empresa lançou três produtos para itens embalados hermeticamente e ainda para quando metais e líquidos estão presentes

Por Claire Swedberg

18 de abril de 2013 - Conforme o setor de varejo se move para colocar tags RFID EPC Gen2 UHF item a item, a Alien Technology já está desenvolvendo soluções para os casos de uso mais difíceis, incluindo três novas tags, que estão sendo testadas por empresas fabricantes de produtos e varejistas. Todas as três etiquetas foram projetadas para resolver problemas desafiantes para o mercado de varejo, onde as tags ainda são difíceis de ler. A tag GT (ALN-9728) foi projetada para melhorar a confiabilidade de leitura item a item, o modelo HiScan (ALN-9720) tem como objetivo melhorar a eficácia da leitura com leitores portáteis e a BAT (ALN-9770) atende a exigências mais desafiadoras, como produtos que contenham metais ou líquidos.

A Alien Technology tem trabalhado em estreita colaboração com os usuários finais para entender onde as tags ainda não estão fornecendo a confiabilidade de leitura necessária, de acordo com Neil Mitchell, diretor de marketing da companhia. "Temos uma boa variedade de tags", diz ele, "mas como temos falado com os fornecedores no mercado de varejo e os próprios varejistas, é claro que nós temos de melhorar a capacidade de as etiquetas serem lidas em ambientes desafiadores".

A tag HiScan (ALN-9720) foi projetada para leitura em aplicações de varejo e vestuário, com leitores portáteis

Há alguns itens, diz Mitchell, para os quais a obtenção de uma boa tag é difícil ou pode parecer impossível e esses são os casos de uso em que as três novas tags são dirigidas. Todos os três modelos vêm com chip Higgs-4 IC, da Alien, que oferece 448 bits de memória, incluindo 128 bits de Código Eletrônico de Produto (EPC).

A tag GT atende a demanda de etiquetagem de item a item no varejo em geral e a uma variedade de aplicações em vestuário ou outros bens de consumo. A versão seca (não adesiva) mede 50 milímetros por 30 milímetros. O antecessor da GT, a H-Tag, continha um chip Higgs 3, enquanto o GT tem chip Higgs-4, que oferece uma gama mais confiável de leitura.

A tag BAT (ALN-9770) pode ser usada em baterias automotivas e recipientes de plástico cheios de líquidos ou metais

A tag GT foi criada para uso nos casos em que calças jeans, por exemplo, são empilhadas de forma desigual, desorganizadamente. "A tag foi projetada para ser lida de modo mais confiável e a longas distâncias", diz Mitchell, contrastando o desempenho do GT com o do H-Tag ou tags existentes de outras empresas para aplicações de varejo em nível de item.

A tag foi testada por grupos de pesquisa no RFID Research Center daUniversity of Arkansas para uso em calças, vestuário polybagged e vestuário de suspensão.