RFID Noticias

Android Industries aumenta eficiência com RFID

A empresa reduziu custos operacionais em 10% e melhorou a segurança com o sistema da Zebra Technologies para controle de fluxo de material e reposição de peças

Por Claire Swedberg

14 de fevereiro de 2013 - A empresa automotiva Android Industries reduziu o custo operacional de seu estoque e reposição de operações em 10%, usando uma combinação de identificação por radiofrequência (RFID) e códigos de barras fornecida pela Zebra Technologies. O sistema, instalado há dois anos na fábrica de Arlington, Texas, permite aos trabalhadores utilizar qualquer tag de RFID ou uma verificação de código de barras para encomendar peças do armazém, enquanto os empregados de armazém localizam as mercadorias pelo software da Zebra para fluxo de material.

A Android Industries monta sistemas modulares complexos, incluindo painéis de instrumentos para carros e navios, nas unidades fabris de seus clientes e também em fábricas de caminhões. Seu negócio crescido e emprega práticas de manufatura enxuta (lean manufacturing) para manter os custos baixos.

Se a oferta de peças para um operador está ficando baixa, ele pode pressionar o botão do WhereCall tag para enviar um pedido de reabastecimento
Recentemente, a Android Industries buscava um sistema automatizado para melhor gerir seu fluxo de materiais e processos de reposição, além de reduzir o desperdício. A empresa muitas vezes tem de fazer mudanças rápidas nas suas operações para atender pedidos dos clientes e precisava de um sistema flexível que permitisse mudar uma estação de trabalho específica facilmente.

Antes de instalar o sistema de reabastecimento de materiais, a Android Industries usava um método manual para manter sua equipe de montagem equipada com as peças necessárias para cada tarefa, explicou Dirk Cranney, gerente de materiais da companhia. Os trabalhadores do armazém passavam em vistoria pelas áreas de montagem à procura de recipientes com baixos níveis de peças e, então, realizavam a reposição de componentes. Os trabalhadores da montagem, conhecidos como operadores, enviavam uma mensagem via rádio ou simplesmente gritavam quando precisavam de peças ou colocavam um pedaço de papel em cima das caixas de componentes, indicando a necessidade de reabastecimento.

O pessoal do armazém tinha de lembrar onde as peças estavam armazenadas e, depois de encontrá-las, levá-las ao operador. Como a fábrica de Arlington cresceu com vários edifícios sendo agregados ao longo dos anos, os produtos necessários para uma montagem podem estar armazenados longe da área operacional. Com isso, o maior desafio para os funcionários era controlar o reabastecimento por meio do sistema manual.