RFID Noticias

ProTech Sales implanta RFID para Anadarko Petroleum

A empresa está usando um Sistema de Rastreamento de Válvulas para identificar e gravar inspeções ou manutenção nos campos de petróleo dos EUA

Por Claire Swedberg

30 de outubro de 2012 - Quando a distribuidora de válvulas e prestadora de serviços no setor e petróleo e gás ProTech Sales começou seu contrato de 18 meses com a Anadarko Petroleum Corp., com o objetivo de realizar manutenção e inspeção em mais de 5.000 válvulas, a empresa recebeu uma lista de identificação de cada válvula, juntamente com seus registros sob a forma de uma pilha de papéis, escritos à mão. Os documentos manuscritos precisavam ser inseridos manualmente em uma planilha Microsoft Excel para os inspetores, mais tarde, controlarem tudo o que haviam feito em cada válvula.

Este negócio tem sido historicamente executado desta maneira, diz Carol Arnim, gerente de projetos da ProTech Sales. Para este grande contrato, cobrindo dois locais com um total de mais de 1.000 quilômetros quadrados, a ProTech optou por criar uma solução automatizada que compreende etiquetas RFID passivas EPC Gen 2 de UHF e leitores portáteis, além do software baseado em nuvem para relacionar as válvulas aos seus respectivos dados e fazer com que a informação fique disponível tanto para a ProTech como para a Anadarko. Desde o lançamento do sistema em setembro de 2011, a empresa já oferece o serviço de inspeção RFID para outros clientes e usando etiquetas RFID em todas as válvulas que aluga para empresas petroquímicas.


Solução Ontrase da Protech inclui tags RFID robustas Xerafy MicroX II
Válvulas em tubos que transportam petróleo e outros produtos químicos devem ser inspecionadas anualmente para garantir que funcionem corretamente. A falha da válvula pode causar problemas significativos para a petroquímica, como necessitar o desligamento das operações até que uma válvula possa ser trocada. Além disso, as agências de governo, como o Departamento de Transportes dos EUA, exigem que as empresas forneçam um registro de inspeções regulares em válvulas localizadas em terras públicas.

Usando o método manual, os inspetores a pé ou de carro visitavam cada válvula, realizavam a inspeção e registravam qualquer trabalho de manutenção necessário. Depois tinham de escrever anotações ao lado do número de série de cada válvula. Estas notas eram então levadas para o escritório para serem inseridas em uma planilha. No entanto, as notas podiam estar incompletas e difíceis de decifrar, pois eram escritas à mão. Além disso, as próprias válvulas podem ser difíceis de serem encontradas, já que os inspetores usam as notas e um mapa para determinar a localização de uma válvula em particular.