RFID Noticias

O que os bancos não querem mostrar

As instituições financeiras ficam mudas sobre o uso de RFID, mas os provedores de soluções dizem que estas estão adotando a tecnologia para rastrear tudo, de dinheiro a servidores

Por Jennifer Zaino

26 de outubro de 2012 - Os bancos e outras instituições financeiras estão em um negócio que requer proteger informações sensíveis e, claro, dinheiro. Portanto, não seria surpresa se preferissem manter sigilo a respeito dos seus métodos para proteger os ativos. Os fornecedores de soluções de RFID entrevistados para esta reportagem concordaram em discutir projetos recentes para as empresas financeiras desde que nós mantivéssemos os seus clientes anônimos. Assim, foi possível ter uma luz sobre onde e por que a RFID está sendo utilizada no setor financeiro.

As principais aplicações de RFID usadas por serviços financeiros são projetadas para rastrear os ativos de TI, dispositivos móveis, caixa de armazenamento e documentos. Uma aplicação de RFID que não está sendo mantida sob sigilo é a de pagamentos sem contato.

Imagem: iStockphoto
Em 2008, o Financial Services Technology Consortium (FSTC) publicou um conjunto de normas para a implantação de RFID baseados em sistemas para acompanhar os ativos de TI nos datacenters. Pouco tempo depois, o FSTC foi adquirido pela Financial Services Roundtable. Um representante de comunicações para BITS, a Mesa Redonda da divisão de políticas de tecnologia, diz que o trabalho na área está desatualizado. Um porta-voz da GS1 diz que não há nenhuma atividade de sua parte para republicar ou usar o padrão.

No entanto, alguns bancos estão monitorando os ativos de TI em centros de dados e avanços tecnológicos estão simplificando o processo. Nos Estados Unidos, a RFID facilita a adequação à Lei Sarbanes-Oxley (SOX), que exige a contabilidade dos ativos fixos. Os bancos devem ser capazes de documentar onde estão seus ativos, se têm "ativos fantasmas" persistentes em seus livros e como coletam informações sobre seus ativos. Os dados coletados com RFID geram a contabilidade.

Outro driver é a consolidação de datacenter, para reduzir custos e complexidade. Mover ativos requer controles fortes e a RFID fornece a visibilidade do processo, de acordo com um fornecedor de tecnologia que vem trabalhando em projetos de consolidação de duas organizações bancárias globais.