RFID Noticias

New York Hospital Queens testa RFID para sistema de inventário

A instituição instalou armários inteligentes da LogiTag para automatizar o gerenciamento de dispositivos médicos e consumíveis

Por Claire Swedberg

17 de outubro de 2012 - O New York Hospital Queens está testando a tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID) para gerenciar seu inventário de dispositivos médicos e produtos de consumo, incluindo stents, cateteres e filtros usados em sua unidade de radiologia. A solução RFID fornecida pela LogiTag Systems cria um registro digital dos itens utilizados nos procedimentos médicos por meio de um armário que, automaticamente, registra quais objetos foram removidos e por quem. No futuro, segundo Jed Dourado, diretor do New York Hospital Queens, esta informação poderá ser enviada ao software de gestão da instituição para relacionar os produtos usados para o tratamento de cada paciente.

A LogiTag foi fundada em 2004, em Israel, para oferecer soluções de RFID para uma variedade de mercados, incluindo um sistema de localização em tempo real (RTLS) por RFID ativo, para uso em hospitais. Sua tecnologia foi instalada em centros médicos de Israel, de acordo com Glenn Tamir, VP de desenvolvimento de negócios da LogiTag Systems.

Quando a quantidade de um determinado produto chega ao ponto de reabastecimento, o StockBox automaticamente desencadeia o pedido de reabastecimento

O New York Hospital Queens tem implantou o Smart Cabinet (gabinete inteligente) da LogiTag e as soluções StockBox, compatível com a tecnologia RFID de padrão ISO 15693, para etiquetas passivas de 13,56 MHz. O Smart Cabinet, destinado a acompanhar itens de alto valor, como implantes utilizados durante procedimentos cirúrgicos, tem um leitor de RFID integrado, que foi projetado e fabricado pela LogiTag. Tamir não especificou o número de leitores ou antenas instalados dentro de cada gabinete para capturar os produtos que entram e saem de suas prateleiras e para dar acesso ao pessoal autorizado. Já o StockBox é destinado a materiais cirúrgicos que são usados apenas uma vez. Quando uma determinada quantidade de produto é consumida, o sistema RFID desencadeia o encaminhamento de pedido de reposição dos itens consumidos para o almoxarifado.

O New York Hospital Queens instalou dois armários inteligentes dentro de sua área de radiologia em janeiro deste ano, a fim de testar a tecnologia e acrescentou uma StockBox no final do primeiro semestre. Se o sistema automatizado controlar o estoque do modo esperado, o hospital planeja instalar a tecnologia em outros pontos de sua unidade de 519 leitos, como a cardiologia e as salas de cirurgia.

Uma tag RFID passiva de alta frequência é anexada a cada item armazenado dentro de um Smart Cabinet LogiTag
Quando os produtos destinados à unidade de radiologia são recebidos no hospital, funcionários anexam uma tag passiva RFID de alta frequência (HF) em cada item. Em seguida, utilizam um scanner de código de barras para ler o número de série do produto e relacionar esta informação ao número do RFID, bem como informam o tipo de produto, tamanho, modelo e sua data de validade, quando houver, para o banco de dados do hospital.

O Smart Cabinet é um receptáculo fechado contendo cinco prateleiras, com até 350 dispositivos implantáveis e outros artigos médicos armazenados. Para um funcionário requisitar um implante ou outros itens, deve primeiro apresentar seu crachá com uma tag RFID embutida. O leitor RFID do Smart Cabinet, então, capta o identificador único da tag e usa o software LogiTag para determinar se o indivíduo está autorizado a acessar aquele gabinete em particular. Se o acesso for aprovado, o software envia instruções para liberar o bloqueio e, simultaneamente, armazena o número de identificação do funcionário ao produto retirado.