Notas do Editor

RFID pode reduzir consumo de energia em datacenters

A internet e uma demanda insaciável por conectividade estão aumentando o consumo de energia nos datacenters, o que os sensores RFID podem ajudar a conter

Por Mark Roberti

1 de outubro de 2012 - O jornal The New York Times publicou uma matéria de primeira página no domingo, dia 23 de setembro, intitulado "Power, Pollution and the Internet" (Energia, Poluição e a Internet). De acordo com o artigo, "os datacenters [dos Estados Unidos] consumiram cerca de 76 bilhões de quilowatts-hora em 2010 ou cerca de 2% de toda a eletricidade utilizada no país no mesmo ano".

O RFID Journal informou recentemente que os datacenters de todo o mundo deverão consumir 19% mais energia durante os próximos 12 meses em comparação com o ano anterior, de acordo com um relatório divulgado em setembro de 2011 pela DatacenterDynamics, uma empresa de pesquisa com sede em Londres.

Os maiores aumentos no uso de energia são esperados para ocorrer nos principais mercados norte-americanos e europeus. Um número significativo das organizações consultadas pela DatacenterDynamics previu que os custos elevados de energia terão impacto sobre suas operações durante os próximos 12 meses.


O artigo do The Times enfoca os problemas decorrentes das 24 horas de atividade dos datacenters e a subutilização de servidores. E relata que o Gartner, empresa de pesquisa sobre tecnologia, analisou uma grande amostra de datacenters e descobriu que as taxas de médias de utilização estão entre 7% e 12%. Esta é uma taxa espantosamente baixa, mas não é o único problema.

Muitos datacenters são ultrarefrigerados, já que os departamentos de TI não querem correr o risco de enfurecer os clientes por terem servidores superaquecidos e, consequentemente, fora de funcionamento. De fato, algumas estimativas são de que, para cada megawatt direcionado para alimentar um data center, meio megawatt ou um megawatt inteiro é consumido na manutenção dos níveis de temperatura adequados. Como é impossível saber a temperatura em cada espaço dentro de uma sala, a maioria das empresas simplesmente liga o ar condicionado no máximo.

Existem sensores ambientais que podem controlar temperaturas em torno de racks, mas estes são caros de instalar. Sistemas de monitoramento sem fio que utilizam identificação por radiofrequência e tecnologias de sensores podem ser instalados de modo rápido e menos dispendioso. Estes podem reunir informações ambientais em tempo real, a fim de ajudar as empresas a gerir melhor o consumo de energia dentro de um datacenter.

O Franchise Tax Board, da Califórnia, implantou um sistema baseado em RFID para monitoramento ambiental em 2008 e viu os custos de resfriamento caírem quase 75%. Com base nesta economia, o Department of General Services (DGS, ou departamento de serviços gerais do Estado) equipou 12 de seus datacenters com o mesmo sistema RFID para controle de temperatura.