Notas do Editor

Para lembrar de Bert Moore

A indústria de identificação automática perdeu outro grande contribuinte

Por Mark Roberti

31 de julho de 2012 - A tinta nem tinha secado em meu artigo sobre a morte de Gay Whitney (leia em Para honrar a Vida de Gay Whitney) recebi um e-mail de Craig K. Harmon, presidente e CEO da Q.E.D. Systems, informando-me sobre a morte por ataque cardíaco de Bert Moore.

Moore foi o diretor de comunicações técnicas e relações com a mídia da AIM, bem como um membro da AIDC 100. Ele se tornou consultor em tecnologias de identificação automática, mas era mais conhecido por suas newsletters mensais AIM Connections e RFID Connections. Além disso, ele serviu como membro do Technical Symbology Committee (TSC) e RFID Experts Group (REG), ambos da AIM.

Bert Moore (Foto cedida pela AIDC 100)
"Bert tinha uma mente maravilhosa e a capacidade de transformar uma frase em exatamente o que era necessário para tornar o assunto compreendido e apreciado", observou Harmon e eu concordo.

O envolvimento de Moore com auto-identificação e tecnologias RFID remonta ao início dos anos 1980. Ele era um editor contribuinte para as revistas Frontline Solutions e Material Handling Management; serviu como editor do AIM do ScanJournal e do Parcel Shipping & Distribution, além de escrever mensalmente a coluna "Data Collection" column para a P&IM Review, de 1988 a 1992.

Eu costumava ver Moore em várias conferências do RFID Journal, nas quais dividíamos uma cerveja e discutíamos a situação da indústria. O clube de jornalistas que escrevem sobre identificação por radiofrequência e tecnologias de auto-identificação é muito pequeno, então, nós sempre passamos algum tempo juntos.

O conhecimento de Moore sobre tecnologias de auto-identificação era largo e profundo. Ele abordou de códigos de barra a RFID, e teve a capacidade de explicar as complexidades das tecnologias, de forma que outros pudessem entender facilmente. Ele manteve um ceticismo saudável sobre o hype em torno do RFID em 2003 e 2004 e me mandou e-mails dizendo: "Você já viu o mais recente artigo sobre a morte do código de barras?".