Notas do Editor

Para honrar a vida de Gay Whitney

Em 28 de junho, a indústria de RFID perdeu alguém que contribuiu muito para a identificação por radiofrequência e, por isso, devemos parar e refletir

Por Mark Roberti

17 de julho de 2012 - Muitas vezes somos pegos de surpresa e temos de melhorar os nossos negócios, alcançar nossos objetivos, fazer os números e assim por diante. Mas, de vez em quando, aparece uma notícia que faz a gente parar e refletir. No mês passado, fui informado de que Gay Whitney, vice-presidente sênior da GS1 US, estava gravemente doente com uma forma rara de câncer. Ela morreu alguns dias depois. Gay tinha apenas 49 anos e três filhos adolescentes. Como dar sentido a uma notícia desta?

No caso de você não conhecer Gay (nascida Elizabeth Gay Millson), ela era inteligente, enérgica e incansável na sua busca por padrões de RFID que podem promover a colaboração e melhorar a maneira como as empresas realizam negócios. De 2006 a 2009, ela foi responsável pela estratégia global e desenvolvimento dos padrões EPCglobal, que foi quando eu a conheci. Ela ajudou no conjunto dos padrões de Electronic Product Code (EPC), a partir das etiquetas de dados para os Serviços de Informação EPC (EPCIS).

Aqueles que trabalharam com Gay dizem que ela era uma líder eficaz e motivadora. As normas podem ser um desafio para serem criadas, uma vez que existem muitos interesses conflitantes. Gay favorecia a transparência, acreditando que as empresas e as organizações deveriam abrir seus problemas e resolvê-los. Ela foi incansável e eficaz, porque compreendeu o valor da colaboração entre empresas e entendeu os padrões como um veículo que pode ajudar as organizações a alcançar esses benefícios.

"A nomeação de Gay para liderar a organização de desenvolvimento de padrões da EPCglobal foi um ponto de virada", diz Gena Morgan, gerente de apoio à implementação do programa GS1. "Ela rapidamente entendeu quem eram os usuários e suas necessidades que precisavam ser atendidas em primeiro lugar e, em seguida, os técnicos teriam a mais importante peça do quebra-cabeça para os padrões de desenvolvimento para trabalhar".

Gay Whitney
Quem trabalhou com Gay Whitney ficou impressionado com a sua inteligência e habilidades. "Gay será lembrada como uma colega, uma defensora apaixonada das normas, uma pessoa adorável e uma amiga de todos", diz Dick Cantwell, ex-presidente do conselho de governadores da EPCglobal. "Ela combinou inteligência com propósito de uma forma elegante e carinhosa. As empresas que ela tocou estão melhores hoje, como todos os que vieram a conhecê-la".

Chris Diorio, co-fundador da Impinj, disse que "toda memória que tenho de Gay Whitney é de alguém sempre lá, sempre pronta e disposta a ajudar. Ela poderia resolver os problemas que ninguém mais poderia. Seu espírito indomável guiava nossa indústria por altos e baixos, através dos anos, para promover a adoção do EPC. E ela nunca perdeu a fé. Suas últimas palavras para mim, apenas poucos dias antes de morrer, foram: ‘Eu gostaria de estarmos lá fora enfrentando os dragões’. Perdemos uma líder, uma amiga e uma verdadeira joia de pessoa. Vou sentir a falta dela".