Notas do Editor

Como fazer para passar pelo Dr. Não

Há sempre alguém dentro das empresas que tenta matar os projetos de RFID antes mesmo de começarem. Saiba como lidar com esta pessoa

Por Mark Roberti

5 de junho de 2012 - Ele trabalha em empresas de varejo, organizações de transportes e também de manufatura. Ele pode trabalhar em TI, operações ou finanças. Ele parece razoável, inteligente e totalmente comprometido com a sua empresa. Mas, por alguma razão, ele não gosta de identificação por radiofrequência (RFID) e, portanto, usa todo o seu peso político para matar projetos de RFID antes que possam começar. Ele é o Dr. Não.

Eu ouvi sobre este personagem por meio de usuários finais que estão frustrados com a oposição dele e de fornecedores que dizem que ele é tudo o que está entre eles e uma implantação bem-sucedida. Ele é um fato da vida e é difícil de lidar. Ele não vai embora, mesmo se você tem aval da empresa para implantar uma solução.


Há somente uma maneira infalível para lidar com o Dr. Não: atraia um grupo de leais membros da equipe de RFID, alguns tacos de beisebol e leve-o a um beco escuro. Não, eu estou brincando, é claro, mas eu sei que algumas pessoas frustradas com este cara podem pensar nisso. A boa notícia é que há maneiras para se lidar com o Dr. Não. Aqui vão algumas sugestões.

Mude o foco

Muitas vezes, o Dr. Não se sente ameaçado pela tecnologia RFID. A impressão dele é a de que ele mesmo não está fazendo um bom trabalho e que o RFID pode consertar as coisas e ameaçar a sua posição. Mudando o foco para “melhorar as atuais deficiências” pode fazer a tecnologia parecer menos ameaçadora. Eu sei de um líder de projeto RFID que utilizou Six Sigma para melhoria da qualidade de um projeto. Isso fez parecer que o RFID era apenas parte dos esforços da empresa para atingir a qualidade Six Sigma.

Esta estratégia também funcionou em uma empresa que posicionou um projeto de RFID como parte de seus esforços contínuos para reduzir seu estoque, avaliado em mais de US$ 1 bilhão. Em outra empresa que estava planejando fechar seus armazéns, o RFID foi introduzido para gerenciar uma instalação central. E alguns varejistas estão posicionando RFID como uma forma de responder aos vendedores online, tais como a Amazon.com.