Notas do Editor

Conselhos para CEOs

A decisão de implantar um sistema de RFID deve ser baseada no valor que a tecnologia pode oferecer para sua empresa e não no que os outros estão ou não estão fazendo

Por Mark Roberti

21 de maio de 2012 - Os fornecedores de tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID) são muitas vezes ingênuos sobre os problemas enfrentados por usuários finais e as preocupações que eles têm. Muitos provedores de soluções acham que se eles só pudessem atender o CEO de, digamos, uma empresa de varejo ou de petróleo, poderiam convencê-lo a implantar um sistema de RFID. Mas a maioria dos CEOs está relutante em fazer um grande investimento em RFID ou em qualquer nova tecnologia, porque sabem que as tecnologias muitas vezes não conseguem entregar o que prometem.

Lembrei-me deste fato na semana passada, quando recebi um e-mail de um consultor que está trabalhando com um grande varejista. Os parceiros tinham completado um piloto de RFID que se mostrou capaz de oferecer um significativo retorno sobre o investimento (ROI). Mas a varejista ainda está relutante em investir, informou o consultor, dizendo que o Walmart recuou do RFID. “O que fazer agora?” – questionou.

O consultor me perguntou o que estava acontecendo no Walmart e qual seria o meu conselho para o CEO da empresa para a qual está trabalhando. Expliquei que o Walmart não recuou do RFID e rastreia itens individualmente, além de estar usando RFID para melhorar a gestão de inventários complexos. A gigante do varejo começou com jeans e produtos básicos para homens, que vêm em uma variedade de cores, estilos e tamanhos. Meu entendimento é que a empresa começou – ou vai em breve começar – usando a tecnologia para gerenciar novas categorias.

Quanto ao meu conselho, eu sugeri que o CEO se concentrasse sobre o valor da RFID. O varejista em questão, eu sei, está lidando com um monte de redução de vendas e o piloto mostrou que a RFID pode diminuir este impacto a um ponto em que a tecnologia iria entregar um ROI saudável. Isso não é o foco principal do Walmart. Outros varejistas podem ter problemas, por exemplo, ou melhorar a experiência de compras para um público jovem.

Também sugeri que o presidente considere processos. Quem vai marcar os itens? Onde eles vão ser marcados? Quando é que os trabalhadores serão treinados para usar o sistema? Como a organização gerenciará processos de negócios para realizar mudanças para assegurar que o valor pode ser conquistado?

Por último, o meu conselho seria mover de forma incremental, a fim de reduzir o risco. Uma corrida para implantar RFID em todas as lojas geralmente resulta em má formação dos trabalhadores e falhas em usar uma solução em seu pleno potencial, o que pode significar um desperdício de dinheiro.

Eu costumava considerar CEOs muito conservadores quando se trata de adotar RFID. Mas, tendo falado com os líderes de implantações em empresas, agora percebo que as grandes empresas devem ser cautelosas. Ainda assim, ser cauteloso não significa não fazer nada, existem formas de garantir que a tecnologia RFID agregue valor, mas requer a tomada de uma abordagem incremental, gestão da mudança e, acima de tudo, concentrando-se sobre as questões que o RFID pode melhorar dentro de uma organização.

Mark Roberti é o fundador e editor do RFID Journal.
  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »