Notas do Editor

À frente do mercado de RFID

Alguns provedores de soluções implantam estratégias pouco viáveis para o estágio atual de adoção da tecnologia

Por Mark Roberti

12 de março de 2012 - A crise econômica que se seguiu à crise financeira de 2008 fez com que algumas empresas colocassem em espera os seus projetos de identificação por radiofrequência (RFID), o que gerou um impacto negativo sobre os provedores de soluções de tecnologia. Porém, alguns destes provedores também estão em conflito por terem adotado estratégias inadequadas para o estado atual de adoção de RFID.

Geoffrey Moore, autor de Crossing the Chasm, Inside the Tornado e de outros livros fundamentais sobre adoção de tecnologia, sugere que os fornecedores de novas tecnologias devem adotar diferentes modelos de negócios com base no estado atual de adoção. No período de surgimento do mercado, as empresas devem focar em projeto, ou seja, devem atuar como integradores de sistemas e ganhar dinheiro em cada implantação.

Mark Roberti
Depois de o mercado atravessar o abismo e a adoção atingir indústrias específicas (o que Moore chama de fase boliche), as empresas precisam oferecer o que ele chama de soluções, isto é, devem disponibilizar produtos, e cada implantação deve ser altamente personalizada. Quando a adoção começa a acelerar, os provedores devem então transformar as suas soluções em “produtos fora de caixa”, que possam ser entregues tão rápido quanto os clientes queiram comprá-los.

Em alguns setores, a adoção de RFID está se aproximando da fase boliche. Adoção está crescendo no setor de saúde (principalmente RFID ativo, em sistemas para localização em tempo real), varejo (principalmente tecnologia passiva de UHF) e algumas outras áreas. O RFID ainda em uma fase inicial de adoção no mercado, e cada implantação é um projeto personalizado. Mas alguns vendedores abandonaram a estratégia do projeto muito depressa e saltaram para a criação de soluções ou produtos que o mercado ainda não está pronto para adquirir.

Esta situação não é exclusiva do mercado de identificação por frequência de rádio. Isto acontece o tempo todo. Antes de eu lançar o RFID Journal, cobri mercados de internet para a revista The Industry Standard, um semanário online. A maioria dos mercados desapareceu. A razão para isto é que as empresas esperavam criar soluções para toda a cadeia de suprimentos enquanto o mercado precisava de uma abordagem baseada em projetos para reformular suas cadeias com base na capacidade de alavancar dados da internet.

O mercado de RFID está perto de um ponto de inflexão. O desafio para os fornecedores de RFID é compreender o estado do mercado para não ficar muito na frente dele. Alguns fornecedores não serão capazes de permanecer até a adoção total e vão sucumbir. Alguns podem ser capazes de aguentar, com financiamento adicional, até que o mercado pegue novamente. E, claro, há aqueles que estão adotando a estratégia adequada para a fase atual de adoção de RFID, para emergir mais fortes no futuro, mesmo que agora sejam relativamente desconhecidos.

O desafio para os usuários finais é avaliar as empresas cuidadosamente, para garantir que elas tenham a força financeira necessária para concluir um projeto e fiquem por perto para apoiá-lo. A última coisa que queremos é escolher uma solução de uma empresa que não empregou a estratégia correta no momento adequado e que corre o risco de sucumbir.

Mark Roberti é o fundador e editor do RFID Journal.
  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »