Notas do Editor

Os varejistas de vestuário estão animados com RFID

Um evento recente de empresários de comércio em Nova York revelou um grande progresso na adoção da tecnologia RFID no segmento de confecções

Por Mark Roberti

1 de fevereiro de 2012 - No domingo, dia 15 de janeiro, participei de uma reunião do VICS Item Level RFID Initiative (VILRI), da Voluntary Interindustry Commerce Solutions Association, em Nova York, realizada em conjunto com o Big Show 2012, da National Retail Federation. O VILRI é um grupo de usuários finais, provedores de soluções e acadêmicos que trabalham para criar formas padronizadas de utilização da identificação por radiofrequência baseada no Electronic Product Code (EPC) dentro da cadeia de varejo de vestuário. Quase 100 pessoas participaram da reunião.

Cynthia DiPietrantonio, chefe de operações da Jones Apparel, definiu os progressos realizados nos grupos de trabalho como "incríveis". Eu participei do grupo de divulgação e comunicação, a tarefa de educar os varejistas e fornecedores sobre os dois trabalhos do VILRI e o valor da contratação do RFID para acompanhar os itens a partir do momento que são fabricados até o ponto de venda.


Mark Roberti
Durante a reunião, David Cromhout e Justin Patten, do RFID Research Center, da University of Arkansas, membros atualizados sobre os resultados do VILRI nos negócios de fornecedores de vestuário, que o RFID Journal realizou a cobertura. Representantes da Accenture atualizaram o grupo sobre uma pesquisa de varejistas e fornecedores, realizada a pedido do VILRI, que sugere que a maioria está pronta para adotar RFID. O VILRI também teve palestrantes em uma grande variedade de eventos colaterais realizados por diversas organizações, incluindo a NRF e a Retail Industry Leaders Association (RILA).

Após a reunião, Joe Andraski, CEO da VICS, ofereceu um jantar para os CIOs de cadeias de varejo, principalmente, as focadas em vestuário. Eu sou incapaz de revelar quem participou ou o que eles disseram, já que esta era uma reunião fechada, mas posso dizer que a maioria dos participantes era de empresas que não anunciaram publicamente iniciativas de RFID, embora muitos disseram ter pilotos em andamento ou até mesmo lançamentos de pequeno porte.