Notas do Editor

Investir em marketing e não só em tecnologia

Empresas fornecedoras de soluções de RFID do Brasil economizam com marketing, em vez de pensar em aumentar as vendas

Por Edson Perin

18 de janeiro de 2018 - Estive conversando com um fornecedor brasileiro de tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID) nesta quarta-feira, dia 17 de janeiro – ou seja, ontem –, e ele me anunciou que conseguiu mais um grande cliente para o seu portfólio. Desta vez, foi uma empresa internacional, de origem europeia, que está bastante interessada em iniciar o projeto de RFID pelo Brasil e expandir para todo o mundo, inclusive para a matriz.

O curioso é que este mesmo fornecedor já me contatou diversas vezes, pelo menos desde o início de 2017, para dizer que conseguiu mais um e mais um e mais um cliente. É verdade que converso com diversos fornecedores de RFID praticamente toda semana, pois estou sempre buscando saber como estão percebendo o mercado e em que pé estão os negócios. Mas este fornecedor, em especial, faz questão de divulgar suas novidades. Será que é por isso que faz mais negócios? Tenho certeza que sim.

Outro dia, o fundador e editor do RFID Journal Mark Roberti escreveu em seu artigo "Não se implanta o que não se vê" que Geoffrey Moore, no livro Escape Velocity, sugere que as empresas precisam orçar o mesmo valor para o marketing do que para o desenvolvimento de produtos.

Isso significa que, se uma empresa gasta R$ 100 mil no desenvolvimento de um novo sistema RFID, deveria gastar R$ 100 mil em promoção sustentada desse produto também. Mas isto não ocorre na prática, na maioria das vezes.

O RFID Journal é a principal mídia de negócios do setor de RFID e, por consequência, de Internet das Coisas (IoT) no mundo. Realizamos os maiores e melhores eventos internacionais do setor e produzimos conteúdo de qualidade em nossos websites, inclusive neste aqui, em português, para favorecer a compreensão dos executivos de empresas de diversos setores sobre os benefícios que as tecnologias de RFID trazem para os negócios.

Falar que as empresas de RFID devem investir em marketing direcionado no segmento pode parecer uma maneira simples de trazer mais receitas para o RFID Journal. Ou seja, só uma conversa mole de vendedor. A verdade, porém, é que não há mercado bom para o ecossistema de RFID, se cada um não fizer bem a sua parte.

Sendo assim, se temos uma mídia especializada, com sites de informações, eventos e conteúdo educacional para palestras e iniciativas de educação, pergunto: o que falta para as empresas venderem mais? Voltando novamente ao artigo de Mark Roberti, ninguém compra o que não sabe que existe, ou não sabe como funciona, ou não sabe que pode confiar, porque não sabe que já tem outras empresas usando.

Sim. Divulgar os cases de sucesso é uma das maneiras de fazer outras empresas entender como a RFID funciona e seus benefícios para os negócios. Mas, infelizmente, poucas empresas de RFID aproveitam isso, porque muitas vezes não gastam nada para promover um novo produto ou solução.

Se as empresas investirem em marketing direcionado, inclusive por que tem baixo custo, ganharem clientes e, em seguida, promoverem as histórias de sucesso desses clientes, como algumas que já sabem fazer isto, haverá maior demanda para suas soluções de RFID.

"As empresas que ganham no mercado de RFID", diz Roberti, "não são as que possuem as melhores soluções, mas sim as que possuem o marketing mais inteligente". E você: o que acha?

Edson Perin é editor do RFID Journal Brasil e fundador da Netpress Editora.

  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »