Notas do Editor

Quando a RFID se tornará obsoleta?

Qual nova tecnologia irá substituir a identificação por radiofrequência (RFID) para gerenciamento de estoque, rastreamento de ativos e outras aplicações?

Por Mark Roberti

19 de setembro de 2017 - Muitas vezes eu sou sempre perguntado por analistas que pensam em investir em empresas de identificação por radiofrequência (RFID), bem como em companhias que consideram a implantação da tecnologia, se há alguma alternativa futura que torne a RFID obsoleta. Eu entendo por que as pessoas me perguntam isso, mas é realmente o momento errado para esta questão. Deixe-me explicar o porquê.

A identificação por radiofrequência ainda está em sua infância. Embora tenha evoluído nos últimos 15 anos, menos de 5% das empresas em todo o mundo estão usando RFID para rastreamento de ativos, gerenciamento de estoque e outras principais aplicações.

A primeira patente para um código de barras foi emitida em 1952. O primeiro código de barras foi escaneado em uma loja de varejo em 1974 – 22 anos depois – e a RFID não começou a fazer incursões sérias no varejo por mais de uma década. Trinta e três anos depois, o código de barras ainda é amplamente utilizado e ninguém acredita seriamente que a RFID substitua o sistema (mas será complementar).

Então perguntar qual tecnologia irá substituir a RFID é como perguntar em 1984 qual tecnologia substituiria o código de barras. Sem dúvida, qualquer empresa que implantou um sistema de código de barras em 1984 ou 1985 provavelmente fez essa pergunta. Mas a verdade é que, em toda a indústria, as tecnologias não vêm a cada cinco anos e substituem a que precedeu.

Como alguém que iniciou um negócio de RFID há 15 anos, passei muito tempo considerando tecnologias que poderiam substituir a adoção de RFID. Então, vamos dar uma olhada em algumas das alternativas possíveis.

Infravermelho: As tags de infravermelho requerem linha de visão, por isso, são boas para algumas aplicações de localização em tempo real para ativos de alto valor, mas não podem ser usadas em itens de baixo custo.

Ultrassom: A tecnologia funciona de forma excelente para localização em tempo real de ativos de alto valor quando você precisa de precisão no nível do estoque, mas como o infravermelho, as tags de ultrassom requerem uma bateria, tornando-as muito caras para rastrear bilhões de itens de baixo custo.

Wi-Fi e ZigBee: Como o infravermelho, as tags que usam esses protocolos requerem uma fonte de energia. Isso as torna inadequadas para rastrear bilhões de itens de baixo custo.

Códigos de barras 2-D e outras formas de ID visual: Estes têm seu lugar, mas exigem uma linha de visão, o que significa que você pode identificar ou contar itens dentro de uma caixa ou empilhados em uma prateleira, a menos que o suporte de dados fique perfeitamente alinhado a um leitor.

Vídeo: O vídeo é o mais promissor. A quantidade de potência de computação possibilita a análise rápida de imagens, mas tem vários desafios como uma tecnologia de identificação automática. Uma delas é que não pode ver dentro de caixas e outros recipientes. Se você tivesse itens iguais e empilhados em uma prateleira, uma câmera de vídeo poderia reconhecer que havia 10 ou 12 deles. Se você tivesse uma estante com jeans, no entanto, você não conseguiria determinar quais tamanhos estavam fora de estoque, já que o vídeo não seria capaz de distinguir. O vídeo também não consegue detectar um item específico que um cliente está procurando.

A maneira como eu vejo isso, é que rastrear bilhões – ou mesmo trilhões – de itens de baixo custo desde a manufatura até o descarte ou reciclagem requer algo com baixo custo, não pode exigir linha de visão e não deve precisar de sua própria fonte de energia. A única coisa que eu vi que atende a esses requisitos é a RFID passiva.

Alguma coisa eventualmente acontecerá para substituir a RFID? Claro, isso pode acontecer um dia. Eu duvido que fiquei vivo para vê-lo, porém, estou certo de que a RFID será usada nos próximos 30 anos ou mais, e demorará muito tempo para que as tecnologias existentes sejam substituídas por novas. Mas se você acha que viu alguma coisa que tornará a RFID obsoleta, nos avise.

Mark Roberti é o fundador e editor do RFID Journal

  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »