Notas do Editor

Um conto para revendedores convencionais

O setor editorial de impressão foi lento para se adaptar às mudanças que a Internet trouxe. Como resultado, muitas publicações não sobreviveram

Por Mark Roberti

29 de junho de 2017 - O noticiário está cheio de matérias sobre lojas de varejo fechando nos Estados Unidos. A CNN Money mostrou uma história recentemente com a manchete "Loja fechadas triplicaram neste ano". Poucos varejistas convencionais ficaram imunes. Até certo ponto, esta é uma correção necessária. Os varejistas abriram muitas lojas em busca de aumentar as vendas e agora estão se recuperando. Mas não é segredo que os varejistas convencionais estão lutando com a forma de incorporar canais de vendas online em seus negócios e competir com os varejistas originalmente online.

Para mim, este é um novo déjà vu. A indústria editorial foi uma das primeiras a ser atingida pela Internet. Isso porque alguém que poderia escrever um pequeno código poderia criar um site e começar a publicar. Os editores viram uma oportunidade (podiam publicar artigos impressos online com pouco custo extra e vender anúncios online), mas não conseguiram ver a ameaça (os leitores receberiam a maioria de suas notícias diariamente online e não precisavam de revistas ou jornais semanais ou mensais).

Em 2001, deixei a CMP, onde era editor chefe da InformationWeek, para participar do projeto da então nova revista Industry Standard, publicação semanal focada em empresas de internet (as "dotcoms"). A Standard estava crescendo porque as empresas criando dezenas de milhões de dólares não tinham nada a ver com o dinheiro, mas anunciavam produtos e serviços online que ainda não existiam. Nossos proprietários estavam assinando arrendamentos longos para escritórios em San Francisco e Londres a preços altos, numa época em que as notícias estavam se movendo para a Internet e a bolha atingindo níveis insustentáveis. Quando a bolha explodiu, a Standard faliu. Surpresa, surpresa.

A InformationWeek, entretanto, lutou para encontrar um modelo de negócios bem sucedido à medida que mais notícias estavam sendo entregues online. A administração resistiu a comprometer-se totalmente com a Internet por medo de perder a receita de impressão existente. Todos viram que a receita de impressão estava diminuindo, mas ainda era muito maior do que as vendas online. Enquanto estava em uma feira, conheci uma repórter que comandei na InformationWeek, que me disse: "Tudo está online agora". Perguntei quantos novos repórteres foram contratados para escrever apenas para o site e quantos do impresso foram designados para escrever apenas para o site. "Nenhum", disse ela.

Foi impressionante ver que as publicações impressas estabelecidas tenham sido tão difíceis de se adaptar à internet. Eu costumava dizer à minha esposa, nos primeiros dias do RFID Journal, que as revistas comerciais de TI estabelecidas deveriam comprar o RFID Journal apenas para aprender o segredo da publicação na Era da Internet, porque nós claramente descobrimos (como outros). A InformationWeek deixou de imprimir revistas em 2013 e eu suspeito que sua receita é uma fração do que era. Está entre as sortudas, porém. Muitas publicações impressas, como a PC Magazine, fecharam.