Notas do Editor

Não, não. É Made in Brazil mesmo!

Por que ainda grande parte dos brasileiros acredita que "não somos" capazes de criar e desenvolver soluções inovadoras, sem colar do Exterior?

Por Edson Perin

17 de março de 2017 - Nesta quinta-feira, dia 16 de março de 2017, subi para o site deste RFID Journal Brasil uma matéria que fiz nesta semana sobre um projeto inovador e de alta tecnologia criado e desenvolvido por estudantes secundaristas do Sesi de Cianorte (PR). Mas minha alegria por publicar um registro sobre o feito histórico destes jovens começou a ser substituída por um sentimento de espanto ao longo do mesmo dia, porque outros brasileiros não acreditam que temos potencial sim de criar e desenvolver coisas brilhantes como esta.

Os garotos imaginaram e realizaram o iPET, um alimentador inteligente, que consegue saber qual animal está perto do cocho e, se for a hora da refeição, servir a quantidade certa de ração, de acordo com o que foi programado pelo dono. E mais: o aparelho avisa por smartphone se o bichinho está devidamente alimentado e até se tomou água (leia mais em Estudantes criam alimentador canino inteligente).

Contando sobre a matéria a um grupo de amigos na mesma manhã, uma das pessoas perguntou para mim, quase afirmando: "foi desenvolvido por estudantes dos Estados Unidos, né?" Eu fiquei feliz por poder responder que não, que se trata de um projeto de alunos secundaristas brasileiros. E emendei com a frase "brilhantes estudantes brasileiros".

Ainda nesta mesma quinta-feira, um pouco mais tarde, encontrei-me com outra pessoa para uma reunião, desta vez, um executivo de empresa fornecedora de RFID. De novo, falei sobre o iPet e disse que os brasileiros ainda não acreditam que algo deste nível possa ser desenvolvido no Brasil, por brasileiros. Para minha surpresa, ouvi desta pessoa: "mas eu já vi um produto assim nos Estados Unidos". Fiquei boquiaberto, porque também conheço alimentadores elétricos. Sim, também já os vi nos Estados Unidos. Mas nenhum deles com todas as inovações da versão brasileira.

Confesso que ainda fiquei chocado, apesar de conviver com este preconceito que acomete os brasileiros, segundo a qual, coisas brilhantes não podem ter sido feitas por brasileiros: ou foram importadas ou falsificadas. Nesta Terra de Santa Cruz, acreditamos saber apenas de samba, carnaval e futebol?

Mesmo sendo brasileiro da gema, concluí que ainda muitos outros não acreditam poder produzir algo de classe internacional, e que tudo vem de fora.

Será? Pensamento complexo, né?

Vamos pensar agora de outro jeito: o iPet, numa definição bem literal, está baseado no conceito de Internet das Coisas (ou IoT, sigla do inglês para "Internet of Things"), algo que está super em alta. E isto é genial! Sim e foi feito por brasileiros, jovens brasileiros. Imagine atrair esses garotos para uma incubadora e começar a fabricar essa traquitana inteligente para exportar...

Já imaginou?

Edson Perin é editor do RFID Journal Brasil e fundador da Netpress Editora.

  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »