Notas do Editor

Neste ano a RFID decola?

A adoção no varejo está se movendo inexoravelmente para o ponto de inflexão

Por Mark Roberti

17 de janeiro de 2017 - Todos os anos, escrevo sobre o que penso que o ano novo será para a indústria de identificação por radiofrequência (RFID). Nos últimos anos, disse que a adoção, particularmente no setor de varejo de vestuário, continuaria a aumentar, mas que este não era o ano em que a RFID finalmente atingiria o ponto de inflexão para acelerar dramaticamente. Mas este pode ser o ano.

Geoffrey Moore, autor de Crossing the Chasm e outros livros sobre o ciclo de adoção da tecnologia, escreveu que cinco condições devem existir para que uma nova tecnologia possa decolar. Em primeiro lugar, deve haver um problema que nenhuma outra tecnologia possa resolver forma econômica. Isso é certamente verdade para varejistas de vestuário - todos têm um problema crítico em gerenciar seu estoque, embora muitos não o admitam. A precisão do estoque no nível da unidade (SKU) é de cerca de 65%. A RFID pode levar a até 95%.

Deve haver um padrão global. Para rastreamento de vestuário, todos os varejistas estão usando ultra-alta frequência passiva (UHF) RFID.

Deve haver produto inteiro ou solução integrada. Temos um número crescente de empresas adicionando software para suas soluções de hardware, e mais empresas de hardware e software em parceria para fornecer um produto inteiro.

Finalmente, deve haver uma massa crítica de usuários finais adotando a tecnologia, e deve haver um "gorila" que o mercado possa abraçar. Um gorila, na linguagem de Moore, é um fornecedor de tecnologia dominante. Exemplos seriam a IBM no espaço do PC e Apple no mercado de smartphones. Nós não temos um gorila para identificação por radiofrequência. O mercado não escolheu um fornecedor específico de RFID ou um grupo de provedores. E ainda não chegamos a um ponto em que varejistas estejam adotando RFID para tornar necessário que todos os varejistas façam rapidamente o mesmo. Mas este poderia ser o ano em que um player faça sua reivindicação ao status de gorila e muitas companhias partam para a adopção maciça.

O tempo é sempre difícil de prever. Tenho olhado para 2018 como o ano em que a RFID vai bater o ponto de inflexão no vestuário de varejo, mas isso poderia acontecer neste ano. E se isso acontecer, incentivará outras indústrias a adotar a tecnologia.

Mark Roberti é o fundador e editor do RFID Journal

  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »