Notas do Editor

Aviso aos varejistas: ignorar RFID é um perigo!

Quando a tecnologia chegar ao ponto de inflexão, aqueles que não fizeram sua lição de casa vão enfrentar piores desafios

28 de setembro de 2016 - Muitos anos atrás, no início da Era da Internet – o que, ao contrário da crença dos meus filhos, não foi logo depois da Era Paleozoica – eu cobria empresas feitas de tijolos e argamassa que não levavam a internet a sério, até que sofreram baixas quando, de repente, todo mundo estava se tornando online. Um amigo meu trabalhava em uma empresa da Fortune 500 que não estava preparada e gastou US$ 50 milhões tentando recuperar o atraso. A maioria do dinheiro foi desperdiçado e levou vários anos para a empresa desenvolver uma estratégia de internet coerente.

Um dos meus objetivos sempre foi o de ajudar as empresas a tomar decisões inteligentes sobre identificação por radiofrequência (RFID). Durante os primeiros anos de hype, eu tentei trazer um pouco de análise racional para o que estava acontecendo. Não, a RFID não iria matar o código de barras ou transformar a cadeia de fornecimentos global em um ano ou dois, nem era um beco sem saída evolutivo.

Agora que a RFID está ganhando impulso, particularmente no varejo de vestuário, eu sinto que é importante avisar os varejistas: o ponto de inflexão está chegando. Não sabemos quando, mas se você não estiver explorando o potencial agora, vai perder muito dinheiro mais tarde tentando recuperar o atraso.

A Macy's começou a investigar RFID em 2007. Ou seja, nove anos atrás. Começou a implantar a tecnologia nas lojas em 2012. A Marks & Spencer começou ainda mais cedo, em 2003. Esses varejistas passaram um longo tempo investigando o potencial da tecnologia, aprenderam como e onde deve ser implantada. É verdade, a tecnologia está muito mais madura agora e não vai demorar tanto tempo para aprender o que esses líderes aprenderam.

Mas quando as coisas decolarem, você precisará implantar um sistema de RFID em toda a cadeia de suprimentos rapidamente para acompanhar os concorrentes (e manter seu estoque sob controle), será muito difícil descobrir tudo o que você precisa saber para implantar uma solução da forma a atender as necessidades e objetivos da sua empresa. Você também terá problemas para encontrar um integrador de sistemas de alta qualidade, porque essas empresas já estarão trabalhando com mais clientes do que podem lidar. Isso significa que, provavelmente, trabalhará com integradores que estarão aprendendo como implantar uma solução às suas custas.

Acho que a coisa mais desafiadora será gerir a mudança que a RFID exige. Macy’s, Marks&Spencer e outros foram para a RFID em fases, ao longo do tempo, o que significa que os funcionários das lojas não tiveram que de repente aprender um monte de tarefas diferentes. Elas foram trazidas ao longo de uma forma ponderada. Tentar mudar um monte de coisas ao mesmo tempo é susceptível a criar alguns problemas de execução que podem afetar os lucros.

Eu gostaria de ver as empresas utilizando RFID de forma a reduzir os custos, aumentar as vendas, melhorar a retenção dos trabalhadores e assim por diante. A última coisa que eu quero é que as empresas sejam apanhadas desprevenidas e desperdicem uma tonelada de dinheiro tentando implantar uma solução com pressa. Sugiro que os varejistas comecem a aprender agora como usar RFID. Uma maneira é participar de nossos eventos. Em seguida, realizar uma prova de conceito para determinar como a RFID funciona no seu ambiente e abordar questões de negócios. Confie em mim, você ficará satisfeito se você o fizer.

Mark Roberti é o fundador e editor do RFID Journal.

  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »