Notas do Editor

O ponto da virada da RFID

Estamos atingindo ou ultrapassamos este estágio – ou a adoção ainda não chegou ao momento mágico em que todas as empresas querem usar a tecnologia?

Por Mark Roberti

9 de agosto de 2016 - Eu estava falando com um capitalista de risco na semana passada que estava pensando em investir em empresas que vendem tecnologias de identificação por radiofrequência (RFID). Ele parecia convencido de que a RFID atingiria o ponto de inflexão, claramente, no caminho da adoção em massa. Eu não tenho tanta certeza.

Onde estamos no ciclo de vida da adoção da tecnologia pode depender, em certa medida, da definição do "ponto de inflexão". Malcolm Gladwell, em seu livro The Tipping Point, descreve como "o momento mágico em que uma ideia, tendência ou comportamento social cruza um limite e se espalha como fogo".

A RFID está se espalhando como fogo? Eu não vejo. O aumento da cobertura da tecnologia na mídia e o recente IPO da Impinj podem dar a impressão de que a RFID está chegando ao ponto da virada. O que eu vejo é uma tecnologia que está começando a criar massa crítica no varejo. Em algum ponto, vários varejistas vão ter colocado RFID nas lojas e os fornecedores vão decidir colocar tags em todas as suas roupas. Daí outros varejistas vão seguir o exemplo e a RFID vai se espalhar pelo resto do setor de varejo.

Eu estimaria que menos de 1% dos itens de vestuário mundialmente estão com etiquetas RFID. Enquanto certamente estamos vendo um crescimento saudável, de 1 bilhão de tags UHF em 2010 para 5 bilhões atualmente, por ano. Nesse ponto, vamos ver volumes de tags crescerem de 5 a 10 bilhões para 50 bilhões no espaço de apenas um ano ou dois.

Quanto tempo isto levar? É difícil dizer. Estamos vendo um crescimento constante e cada vez mais os varejistas adotando a tecnologia, mas é preciso tempo para instalar a infraestrutura nas lojas e ter fornecedores colocando tags em mercadorias. A maioria dos varejistas começam a usar RFID em poucas categorias e depois expandem para outra. Por isso vai levar tempo para chegar ao ponto em que grandes fornecedores de vestuário decidirão colocar tags em tudo.

É possível, claro, que um novo tipo de leitor surja, menos dispendioso e mais fácil de implantar, e que ofereça um nível de precisão de inventário extremamente atraente para varejistas começarem a usar a RFID em todos os departamentos. Isso pode acelerar dramaticamente a adoção.

Eu não acho que nós vamos atingir o ponto de inflexão neste ano ou no próximo. Mas não está longe e os varejistas que estão apenas assistindo e esperando podem ser pegos de surpresa quando a adoção realmente decolar.

Mark Roberti é o fundador e editor do RFID Journal.

  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »