Notas do Editor

A história do IPO da Impinj

Não é a primeira empresa de RFID a ser listada na bolsa de valores, mas sua oferta pública bem-sucedida abre portas para outras empresas do setor

Por Mark Roberti

27 de julho de 2016 - Na semana passada, a Impinj, fabricante de chips para etiquetas e leitores de identificação por radiofrequência (RFID) UHF, realizou sua oferta pública inicial de ações (IPO). A empresa vendeu 4,8 milhões de ações por US$ 14, levantando mais de US$ 67 milhões. Embora outras empresas de RFID tenham sido negociadas publicamente, a Impinj fez história por ser a primeira empresa de RFID a realizar um bem-sucedido IPO.

As ações durante o primeiro dia de negociação subiu 28%, sugerindo que investidores estão otimistas com a RFID (e com razão, na minha opinião). Se as ações forem para cima ou para baixo durante as próximas semanas, a listagem de uma empresa pura de RFID na bolsa de valores NASDAQ é susceptível a ajudar outras empresas de RFID. Em primeiro lugar, os US$ 60 milhões, ainda modestos para os padrões do Vale do Silício, não é fichinha. É legítima a tecnologia para os olhos dos investidores e capitalistas de risco.

Acho que vamos começar a ver mais capital de risco na indústria de RFID. Como eu mencionei em uma coluna recente, o RFID Journal está vendo mais leitores entre capitalistas de risco. Está se tornando claro para os investidores inteligentes que a tecnologia RFID está chegando ao ponto de inflexão. Nós vimos mais varejistas que adotam a tecnologia. O volume de etiquetas de RFID UHF passivas vendido a cada ano foi de menos de um bilhão em 2010 para mais de 5 bilhões em 2015, de acordo com a VDC Research.

O crescimento global do mercado até agora tem beneficiado principalmente as maiores companhias, como Avery Dennison, NXP Semiconductors, Smartrac Technologies e Zebra Technologies. À medida que o mercado cresce, é provável que haja oportunidades para outras empresas.

Mais dinheiro de capital de risco na indústria irá ajudar as empresas a expandir seus esforços de pesquisa e desenvolvimento, que lhes permitam melhorar seus produtos e fazer um trabalho melhor para atender as necessidades dos clientes.

Antes, não houve um crescimento dos investimentos de capital de risco em RFID por causa da falha de decolagem do projeto do Walmart, que anunciou que exigiria que os fornecedores utilizassem a tecnologia. Como resultado, as empresas que poderiam ter beneficiado de seus produtos não tinham conhecimento deles. Às vezes, essas empresas saíram do negócio ou foram adquiridas antes que pudessem desenvolver uma presença no mercado.

Eu não espero que o IPO da Impinj leve a uma inundação de dinheiro na indústria de RFID, mas eu acho que o sucesso da empresa mostra que o mercado está crescendo, vai atrair investidores inteligentes que percebem RFID e está se aproximando do ponto de inflexão.

Mark Roberti é o fundador e editor do RFID Journal.

  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »