Notas do Editor

A onda de adoção da RFID

Os usuários finais e provedores de soluções que não estão preparados para um ritmo mais rápido de adoção vão perder clientes para os concorrentes

Por Mark Roberti

19 de outubro de 2015 - Na coluna passada, eu expliquei como e por que a adoção de identificação por radiofrequência (RFID) vai acelerar (veja em Como a adoção de RFID será acelerada). Você pode dizer: "E daí? Nós vamos ajustar a nossa estratégia quando isso acontecer". Isso pode funcionar, mas eu acho que existem perigos para as empresas que não anteciparem a aceleração na adoção da RFID. Vou explicar os perigos para empresas usuárias finais primeiro e depois para provedores de soluções de RFID.

Se você é um varejista que atualmente não está experimentando RFID, você pode descobrir que pode olhar pela tecnologia em poucos anos. Mas por essa altura, poderíamos ter alcançado o ponto de inflexão. Todos os varejistas farão a implantação e você estará em um frenesi para descobrir como a tecnologia funciona melhor em seu ambiente e com seus processos. Você não terá tempo para testar diferentes cenários, cometer erros e corrigi-los. Você provavelmente vai acabar implantando algo que é bem menos do que o ideal.

Você também pode acabar trabalhando com um provedor de RFID que foi fundado apenas nos últimos seis meses, porque as empresas experientes já estarão engajadas. Isso pode levar a problemas de implantação caros. Eu vi isso acontecer quando era jornalista de TI na adoção de tecnologias de Internet. Em 1999, os CEOs de grandes empresas diziam que a Internet era insignificante para as empresas. Dois anos mais tarde, esses mesmos CEOs estavam jogando dinheiro em projetos de Internet, um monte acabou sendo desperdiçado.

Outro problema para os varejistas que esperam muito tempo é que quando eles estão implantando um sistema básico de RFID para o gerenciamento de inventário e melhorar o reabastecimento. Os varejistas que já implantaram tais sistemas têm uma construção de base sólida para melhorar a experiência na loja e talvez a inovar de formas que ainda não foram pensadas.

Para provedores de soluções de RFID, há um perigo em investir muito antes de o mercado decolar. Muitas empresas fizeram isso nos primeiros dias e acabaram sem a receita para apoiar os seus investimentos. Mas há também o perigo de estar por trás da onda de adoção. Se os clientes estão pedindo produtos que você não pode entregar, você vai perder esses clientes para seus concorrentes.

Não construir uma marca é também um perigo. Quando o mercado decola, os usuários finais vão gravitar às marcas da RFID que conhecem. Como essas marcas conquistaram novos clientes, eles terão os recursos para promover-se mais, enquanto as empresas desconhecidas vão continuar a lutar (quando "gorilas" forem criados, para usar o termo de Geoffrey Moore, os fornecedores de tecnologia serão os dominantes).

Navegar nesta paisagem em mudança não será fácil. As empresas devem pesar os perigos de se mover muito rapidamente contra os riscos de não se mover rápido o suficiente. Aqueles que fizerem com sucesso serão os melhores, quando a RFID tornar-se onipresente.

Mark Roberti é o fundador e editor do RFID Journal.

  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »