Notas do Editor

O ano dos sensores

No RFID Journal LIVE! 2015, vários sensores RFID de baixo custo serão apresentados, dando aos usuários finais a oportunidade de gerir melhor os seus ambientes

Por Mark Roberti

7 de abril de 2015 - Nos últimos anos, eu tenho escrito algumas previsões com base no evento RFID Journal LIVE!, nossa conferência e exposição anuais, que serve como uma espécie de barômetro para o estado da indústria de identificação por radiofrequência (RFID). Uma coisa que já está clara para mim é que um grande foco este ano recai em sensores, particularmente os de baixo custo passivos que tornarão mais fácil e barato para empresas, organizações governamentais e outros usuários monitorar ambientes.

A Smartrac estará exibindo sua tag RFID passiva com sensor de umidade UHF, conhecida como Dogbone Sensor, destinada a lançar inovação no sensoriamento de umidade. A empresa começou a vender a tag, que está em conformidade com o padrão EPC Gen 2, no mês de fevereiro. Como não tem bateria, a tag pode ser incorporada em, digamos, paredes de edifícios para informar quando a umidade está presente e como custa uma fração do que um sistema de sensores com fio custaria, a tag com sensor em forma de osso poderia ser colocada em todos os lugares.

A umidade pode danificar componentes eletrônicos, móveis, materiais de construção e muitos outros produtos. Assim, um transponder de baixo custo que pode ser colocado dentro ou nas embalagens para informar quando há água presente será valioso para muitos setores e respectivas empresas.

A Farsens levará etiquetas RFID sem bateria capazes de monitorar os níveis de tensão dos circuitos de corrente alternada, de 0 a 700 volts. As tags também são compatíveis com o padrão EPC UHF e podem ser interrogadas por leitores RFID EPC off-the-self. O objetivo da marca é aumentar a segurança, reduzindo a necessidade de intervenção humana na produção e nas áreas de energia com maquinaria industrial pesada.

A Phase IV Engineering desenvolveu um sensor de deformação RFID sem bateria, também baseado no padrão UHF EPC passivo. Usando apenas o campo de RF do leitor, o sensor de deformação SensTag pode detectar uma ampla gama de tensão (até +/- 9000 micro-strain). A empresa também está lançando uma versão passiva assistida por bateria com sensor de deformação que registra deformação e temperatura. A bateria deve durar 10 anos, mas mesmo quando acaba, a tag pode ainda ser lida no modo "ler agora", podendo ser monitorada ao longo de décadas.

Mais de 200 desses sensores de deformação SensTag foram instalados no túnel de trens Northgate, em Seattle. Os sensores estão monitorando a tensão nos forros de túnel de concreto armado, que criam a estrutura tubular do túnel. Durante a fabricação dos forros, as SensTags foram soldadas na gaiola de vergalhão. Concreto foi derramado na forma e todo o sensor SensTag foi permanentemente incorporado mais do que uma polegada no interior da estrutura, mas os transponders podem ainda se comunicar com os leitores.

Estas são apenas amostras dos sensores que serão vistos no LIVE!, que também contará com outros grandes produtos de empresas de todo o mundo – expositores virão de 22 países. Estamos vendo o interesse de alguns novos setores, como entretenimento, organizadores de concertos e empresas que imprimem bilhetes, e fabricantes de aço. Enquanto isso, o momento continua sendo do varejo, e eu penso que nós veremos mais redes de comércio adotarem RFID nos itens, mas ainda vai levar algum tempo para atingir a massa crítica.

Em suma, eu prevejo um evento com um monte de empresas encontrando uma variedade de soluções diferentes para uma ampla gama de setores e aplicações.

Mark Roberti é o fundador e editor do RFID Journal.

  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »