Notas do Editor

Motorola sai de evidência

Depois de construir a marca mais conhecida no mercado de RFID e posicionar-se como Gorila, a empresa vendeu seu negócio de RFID à Zebra Technology

Por Mark Roberti

23 de abril de 2014 - A primeira coisa que pensei quando recebi o press release anunciando que a Motorola vendeu sua divisão empresarial, que inclui o negócio de identificação por radiofrequência (RFID), para a Zebra Technologies (veja em Zebra compra Enterprise Business da Motorola Solutions) foi a apresentação de Paul Saffo no RFID Journal LIVE! 2005. Saffo, um renomado futurista, dá conselhos para gente como Bill Gates sobre aonde a tecnologia está indo. No nosso caso, explicou o ciclo de hype e disse que leva tempo para uma nova tecnologia amadurecer. "Como resultado, muitos de vocês vendedores na plateia", previu, "vão sair do mercado assim que ela estiver prestes a decolar".

Acredito que a Motorola está cometendo um grande erro. Eu reconheço que a empresa realizou uma revisão estratégica e descobriu que sua divisão corporativa, que vende principalmente equipamentos de código de barras e RFID, não tem sinergia com a divisão de governo, que vende equipamentos de comunicação para socorristas, forças policiais e afins. Esta é uma decisão razoável, mas por que o CEO anterior, que comprou a Symbol Technologies em 2006, não viu esta lógica?

Os líderes da divisão empresarial da Motorola entenderam o potencial da RFID e a receita que vai gerar. Parece, no entanto, que os seus superiores não viram este potencial. É difícil imaginar que qualquer empresa pudesse vender uma divisão que está prestes a ver um enorme crescimento, independentemente da forma. Cada empresa de capital aberto quer ver um motor de lucros rápidos e sustentados.

Tenho certeza que as pessoas do negócio de engenharia diriam que gente como eu tem dito que a RFID está prestes a decolar há anos. Isto é verdade. E pode ainda levar mais alguns anos antes que as vendas da Motorola, quero dizer, Zebra, possam explodir. Mas vão explodir.

Voltando à apresentação de Paul Saffo, ele também disse: "Todo mundo superestima o potencial de curto prazo de uma nova tecnologia e subestima o potencial de longo prazo". Ele ressaltou que no início de 1980, a IBM estimou o mercado total de computadores pessoais em cerca de 60.000 unidades por ano. Mas as vendas de PCs atingiram um pico de 95 milhões durante o quarto trimestre de 2011.

A perda da Motorola é, naturalmente, o ganho da Zebra. O desafio para a Zebra, se o negócio se concretizar, é deixar o mundo saber que os handheld e leitores fixos da Motorola agora são os leitores Zebra. A Motorola construiu a marca mais conhecida na indústria depois de ter comprado a Symbol. A Zebra não pode assumir que só por que comprou os negócios da Motorola, todo mundo vai saber que migraram para a Zebra. É preciso estabelecer na mente do comprador de tecnologia RFID que a Zebra é agora a empresa dos leitores fixos e portáteis, como a Motorola fez.

Mark Roberti é o fundador e editor do RFID Journal.

  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »