Notas do Editor

Carta aberta ao novo CEO da Microsoft

Eu humildemente sugiro que você invista na tecnologia de amanhã, a RFID, em vez de continuar a apostar nas inovações de ontem

Por Mark Roberti

11 de fevereiro de 2014 - Na semana passada, a Microsoft promoveu Satya Nadella para o cargo de CEO, substituindo Steve Ballmer. Nadella está na Microsoft há mais de 20 anos e recentemente foi responsável pela divisão de computação corporativa da empresa, onde supervisionou o software de servidor e soluções baseadas em nuvem. Aqui vai o meu conselho não solicitado para o Sr. Nadella.

Caro Satya,

Eu sei que é um pouco presunçoso da minha parte oferecer conselhos a você, que assumiu uma das posições mais importantes e de destaque na indústria de TI. Tá certo: muito presunçoso! Mas eu realmente gostaria de ver a Microsoft conseguir seu rumo de volta e acho que sei como. É simples, na verdade: pare de apostar no passado e comece a investir no futuro.

O que quero dizer?

Bem, a Microsoft investiu uma tonelada de dinheiro perseguindo a última grande coisa em vez de fazer isso com a próxima grande coisa. Depois que o iPod da Apple tornou-se o gadget mais cobiçado do mundo, a Microsoft saiu com o Zune (desculpe, eu tenho que levantar essas coisas). Depois que o Google começou a fazer dinheiro com publicidade nos sistemas de busca, a Microsoft investiu uma pequena fortuna no Bing. É verdade, o Bing tem se saído melhor do que o Zune, mas uma empresa poderosa como a Microsoft deve se satisfazer com apenas 17% do mercado de buscas?

A Microsoft não chegou apenas atrasada na festa do smartphone – ela chegou quando os convidados já estavam saindo com os seus dispositivos de mão. O sistema Android do Google tem cerca de 50% do mercado dos EUA, enquanto o iOS da Apple tem 43% e o Windows Phone da Microsoft tem uma insignificante parcela de 4,7%. A compra do negócio de telefonia da Nokia pode ajudar a aumentar esse número, mas você está jogando para, na melhor das hipóteses, ficar em terceiro lugar.

E depois há o fiasco do tablet. O Surface pode ser um bom dispositivo, mas ganhou menos de 4% do mercado. E sim, com o poder da Microsoft, você pode aumentar esse número até 10% ou 15%, mas é isto o que a Microsoft está querendo: ser o chimpanzé da gorila Apple? (Eu tenho certeza que você já leu os livros de Geoffrey Moore, então, você deve ter referência do que estou dizendo)