Notas do Editor

Quando o crescimento se torna estabilidade

Economistas preveem que, devido à fraca demanda, para as empresas aumentarem lucros terão de investir em novas tecnologias para reduzir custos

Por Mark Roberti

26 de novembro de 2013 - No Japão, eles chamam de “Ushinawareta Jūnen”, a década perdida. Após a bolha imobiliária japonesa de 1991, a economia crescente do país abrandou. Na verdade, ainda está em um ritmo lento. Tem havido alguma recuperação recentemente devido, em parte, ao programa de estímulo do governo do primeiro-ministro Shinzo Abe, mas os últimos saltos no crescimento econômico têm sido de curta duração. Alguns economistas estão agora prevendo uma situação semelhante na Europa e na América do Norte, o que significa que as empresas que querem aumentar os lucros não podem contar com um aumento geral nos gastos do consumidor para vender mais.

Vou explicar os argumentos atuais (como eu os entendo) e como as empresas podem responder. E, então, no final deste artigo, vou descrever por que eu não aceito plenamente o consenso atual de pensamento entre os economistas.

Assim, a teoria é que, após o colapso da bolha imobiliária, os consumidores e muitas empresas foram confrontados com débitos. Como os consumidores "desalavancaram" - amo essa palavra para "reduziram suas dívidas" -, eles têm de gastar menos com carros, geladeiras e noites fora de casa. Assim, as empresas investem menos na contratação, pesquisa e desenvolvimento e na expansão.

A demanda dos consumidores está fraca. Os bancos centrais reduzem os juros sobre empréstimos, em um esforço para liberar dinheiro para estimular a demanda, mas as taxas de juros estão perto de zero durante anos. Há pouco mais que os bancos centrais podem fazer. Os governos poderiam gastar dinheiro para estimular a demanda. Os déficits orçamentários poderiam funcionar, mas a maioria dos governos estão profundamente endividados. Então, não é uma opção na maioria dos países (principalmente, nos Estados Unidos).

Se a demanda permanece baixa por uma década ou duas, mais empresas precisam encontrar maneiras para ganhar quotas de mercado dos concorrentes ou aumentar os lucros reduzindo os custos. Tomar mercado dos concorrentes é algo que a maioria das empresas tentam fazer todos os dias. Portanto, não é fácil crescer assim: lembre-se que os concorrentes estão tentando tirar a sua parte também.