Notas do Editor

Soluções completas de RFID chegam ao mercado

Muitas empresas estão oferecendo mais do que apenas etiquetas ou leitores, o que é uma boa notícia para os usuários da tecnologia

Por Mark Roberti

27 de agosto de 2013 - Como um grande conhecedor dos benefícios que a identificação por radiofrequência pode oferecer, além de um reconhecido defensor da tecnologia, muitas vezes me perguntam: "se RFID é tão relevante, por que é que nem todos estão usando?"

Essa é uma boa pergunta e há um monte de respostas. As empresas são lentas para aceitar a mudança, adotar novas tecnologias envolve riscos e assim por diante. Mas um grande motivo pelo qual a tecnologia RFID ainda não foi amplamente adotada é que há uma carência de soluções completas. Os usuários finais que procuram rastrear produtos acabados, work-in-process (trabalho em andamento), ferramentas ou outros itens têm de comprar leitores de uma empresa, tags de outro fornecedor e obter o software de outro ainda; em seguida, contratar uma quarta empresa para colocá-los todos juntos em funcionamento. Trabalhar com quatro empresas aumenta os riscos e a complexidade de qualquer implantação, por isso, muitas empresas acabam evitando a tecnologia.

Porém, isso está começando a mudar. Só neste mês, três soluções completas de RFID foram anunciadas. A empresa conhecida como Kit Check criou um sistema para a identificação de remédios em kits que são colocados em carrinhos, de modo que os hospitais possam rapidamente encontrar e utilizar medicamentos. A solução vem com uma impressora Zebra Technologies, uma estação de digitalização com um leitor de RFID e software.

A William Frick & Co., fabricante de transponders duráveis, introduziu recentemente o Sistema de Rastreamento de Ativos SmartCat, que consiste de um leitor de mão UHF, software para gerenciar os dados coletados e etiquetas para bens. O sistema foi desenvolvido para os municípios que não podem pagar para integrar uma solução de RFID com o sistema back-end existente. Mas lhes permite usar RFID para rastrear e gerenciar os bens que possuem, como semáforos e computadores.

E a MAINTag, um fornecedor de tecnologia de RFID para a indústria aeroespacial, está lançando uma solução para monitoramento e manutenção de cabine e equipamento a bordo da aeronave através de um Apple iPad ou tablet baseado em Android, utilizando um leitor RFID conectado. A solução, conhecida como FLYcheck, deverá ser disponibilizada comercialmente em 15 de setembro e contará com um leitor WAVEbox Cube UHF RFID recém-lançado. A FLYcheck também inclui etiquetas de fibra e software, permitindo ao usuário rastrear a localização e estado de equipamentos como coletes salva-vidas e latas de oxigênio, através de um navegador Web.

O que isto significa para os usuários finais é que eles não precisam mais fazer o trabalho pesado ou assumir todos os riscos. Você não precisa se preocupar em comprar etiquetas e leitores que utilizam o mesmo padrão, mas acabam não trabalhando juntos devido a um problema com o firmware do leitor (ou algum outro problema completamente inesperado). Isto, agora, é dor de cabeça para o provedor de solução apenas.

Uma solução assim, no entanto, não pode fazer tudo o que sua empresa precisa que faça, mas oferece um bom retorno sobre o investimento com muito menos risco. E isso é muito mais atraente do que a construção um sistema a partir do zero.

Mark Roberti é o fundador e editor do RFID Journal.

  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »