Notas do Editor

Carrier eleva manufatura a patamar superior

A fabricante de equipamentos de aquecimento e ventilação utiliza a tecnologia RFID para tornar ainda mais eficiente uma fábrica já eficiente

Por Mark Roberti

3 de junho de 2013 - Já realizei apresentações para muitos executivos de alto nível em grandes empresas que procuram entender como a identificação por radiofrequência (RFID) pode melhorar suas operações. Digo-lhes que já espremeram tanta ineficiência para fora de suas organizações com a Tecnologia da Informação (TI) já investida, que não há mais a ser feito sem a implementação de uma nova tecnologia, tal como RFID.

Algumas organizações já conseguir isso. No RFID Journal LIVE! 2013, Balaji Suresh, gerente de materiais da UTC Climate, Controls and Security na Carrier, apresentou um estudo de caso sobre como a sua empresa tornou ainda melhor uma operação altamente complexa, altamente eficiente e com uma produção verticalmente integrada.

A Carrier fabrica equipamentos de aquecimento e ventilação. A fábrica produz uma grande variedade de produtos e termina uma unidade a cada cinco segundos. "É um ambiente de alta velocidade e aplicamos uma série de técnicas de manufatura enxuta", disse ele. "E nós temos sido reconhecidos pela excelência de fabricação. Em 2011, nós fomos a Industry Week Best Plant" (Melhor Fábrica da Industry Week).

Em 2009, a empresa realizou um estudo com a tecnologia RFID em sua linha de produção, para confirmar que cada tag poderia ser lida o tempo todo. Não poderia haver exceções em um ambiente de fábrica altamente controlado. Quando os testes provaram que ler 100% das etiquetas era possível, Suresh decidiu ir em frente com o projeto. Seus objetivos eram melhorar a segurança e eficiência no transporte, agilizar a montagem, torná-la à prova de erros e construir uma infraestrutura para suporte de futuras melhorias na fábrica.

Os benefícios para as empresas foram analisadas de forma clara e quantificada e a equipe recebeu aprovação para investir "centenas de milhares de dólares". Demorou nove meses para levar o sistema ao funcionamento. A empresa recebeu o retorno sobre seu investimento (ROI) em menos de dois anos.