Notas do Editor

Expectativas para o RFID Journal LIVE! 2013

Os usuários finais estão comprometidos com projetos significativos de RFID, o que estará em evidência na conferência e exposição deste ano

Por Mark Roberti

29 de abril de 2013 - Todo ano, o RFID Journal realiza o RFID Journal LIVE!, a maior conferência e exposição sobre identificação por radiofrequência do mundo. O evento é uma espécie de barômetro do estado atual da indústria de RFID. E eu costumo escrever uma coluna depois de cada evento para colocar em perspectiva o momento e as atividades da indústria. Neste ano, eu vou dizer o que espero de antemão e, depois, vamos ver se eu estou certo.

A conferência deste ano ocorre pela primeira vez desde o colapso financeiro, o que indica que a indústria de RFID está ganhando impulso. Enquanto muitos orçamentos de empresas ainda estão apertadas, a maior participação de pessoas sugere que um número crescente de profissionais vê o RFID como uma solução potencial para algumas questões de negócios que enfrentam hoje. Eu também acredito que os participantes estarão mais interessados em investir em uma solução de RFID do que no passado.

Vou dar um pouco da perspectiva histórica antes de eu explicar por que digo isso. Em meados da década de 2000, quando o Walmart colocou RFID no radar dos empresários, um monte de gente veio assistir aos nossos eventos. Muitos acharam que RFID não era uma solução madura o suficiente para os seus negócios (naquela época, você não tinha, por exemplo, uma tag de UHF para ser usada em objetos de metal).

Conforme o tempo foi passando, algumas pessoas foram aos eventos do RFID Journal apenas para aprender sobre a tecnologia e, depois do colapso financeiro de 2008, a maioria das empresas que participaram do evento tiveram uma ideia clara das questões de negócios que eles queriam resolver usando RFID. Expositores me disseram: "Havia menos ‘turistas’ aqui, o que é uma coisa boa".

Acho duas coisas foram mudando durante os últimos dois anos, e que devem entrar em foco neste ano. A primeira é que algumas empresas estão implantando RFID em toda a empresa. Então, em vez de olhar para RFID para rastrear algumas ferramentas ou recipientes, as empresas passaram a investir em sistemas muito maiores.

Teremos um painel com a European Aeronautic Defence and Space Co (EADS), o grupo que inclui Airbus, Astrium, Cassidian e Eurocopter. Durante esta sessão, Carlo Nizam, responsável pela cadeia de valor e RFID da Airbus, vai colocar um slide mostrando o crescimento dos projetos dentro do grupo nos últimos anos. Eu não quero antecipar as surpresas, mas a adoção está claramente se acelerando.