Notas do Editor

O desafio de escolher o melhor entre os melhores

Selecionar as melhores implantações de RFID todos os anos é muito difícil, mas vale a pena o esforço

Por Mark Roberti

18 de março de 2013 - Meu pai, um matemático que resolveu Último Teorema de Fermat, nunca votou em uma eleição municipal, estadual ou federal ao longo de seus 83 anos. Isso pode parecer uma frase de abertura estranha para uma coluna sobre identificação por radiofrequência, mas é relevante. Você verá o porquê depois de eu explicar o motivo pelo qual o meu pai nunca votou.

Meu pai sabia que os tribunais de Nova York escolhiam os jurados dentre as listas de eleitores registrados. Ele foi bastante político, mas nunca se registrou para votar, porque ele não queria ser jurado. "Você não pode julgar outro homem", dizia ele, "a menos que você já tenha andado em seus sapatos [expressão em língua inglesa que quer dizer colocar-se no lugar do outro]".

Eu costumava discutir com ele sobre isso, dizendo que podia ser verdade, mas não era uma razão suficiente para não servir como jurado. Se todo mundo tomasse a sua posição, completava, um único juiz teria o direito de condenar as pessoas ou encerrar os processos e, provavelmente, produzir um resultado pior. Seria melhor, então, ter um sistema de júri imperfeito do que não ter nenhum sistema de júri.

O mesmo acontece com o prêmio RFID Journal Awards. A cada ano, um painel de acadêmicos e líderes da indústria tentam escolher a melhor implantação de RFID, o uso mais inovador de RFID, a melhor utilização de RFID para melhorar um produto ou serviço, o melhor uso de RFID para ajudar o meio ambiente e os melhores novos produtos. Esta é uma tarefa hercúlea, porque além de as implantações virem de muitas indústrias e aplicações diferentes, a grande maioria dos inscritos é incrível, o que torna complicado diminuir a lista para apenas três finalistas em cada categoria.

Neste ano, alguns dos juízes me enviaram longos parágrafos explicando porque escolheram um inscrito específico em detrimento de outro e, muitas vezes, incluíram comentários sobre inscritos que não estão entre os seus três primeiros escolhidos, mas que ainda são dignos de reconhecimento. "Há algo a ser dito sobre este projeto de pequena escala antes de descartá-lo", escreveu Harold Boeck, professor da Université du Québec à Montréal, a respeito de um projeto que não estava entre os seus três melhores. "É um projeto real de vida prática que qualquer um pode realizar. O projeto não exigiu consultores ou integrador de sistemas e foi inteiramente feito em casa. O tempo de instalação foi de apenas algumas horas. O projeto demonstra benefícios claros e um ROI rápido e claramente define que qualquer um pode colocar suas ideias para funcionar".