Notas do Editor

2012: um ano de progressos

Usuários finais adotaram novas aplicações de RFID e expandiram implantações existentes, a tecnologia continuou a melhorar e houve algumas grandes aquisições

Por Mark Roberti

3 de janeiro de 2013 - No início de cada novo ano, eu uso esta coluna para dar uma visão do setor de identificação por radiofrequência (RFID) ao longo dos 12 meses anteriores. O ano passado pode ser resumido como um período de progressos constantes, com desenvolvimentos intensivos em três áreas.

Em primeiro lugar, várias implantações corporativas foram ampliadas. A Airbus, um dos dois grandes fabricantes de aviões do mundo, anunciou a expansão de seu projeto de RFID da aeronave A350 XWB para inserção de tags em todos os bancos e coletes salva-vidas também das A320, A330 e dos modelos A380. Este é o primeiro passo para a marcação de todas as peças de toda a sua frota com RFID.

A varejista de moda American Apparel começou a equipar todas as suas 280 lojas com a tecnologia RFID, após a implantação dos leitores de RFID e tags em 100 localidades em 2011. Além disso, Walmart, US Department of Defense e Veterans Administration continuaram a expandir as implantações. Importante notar que estas são implantações de grande escala em que a RFID está sendo usada para missão crítica.

A Cisco Systems adota RFID para gerenciar ativos fixos dentro de 70 datacenters dos EUA e de laboratórios de pesquisa e desenvolvimento (R&D Labs), economizando assim tempo e dinheiro. E a BP implantou uma solução de RFID em duas de suas refinarias, com planos de tornar o sistema um padrão para uso em todos os seus locais de operação.

A Macy's anunciou planos para começar a sua implantação de RFID este ano. Enquanto isso, o CEO da JC Penney, Ron Johnson, disse que espera que sua empresa ponha etiquetas RFID em 100% de suas mercadorias e, assim, usar a tecnologia para possibilitar o self-check-out (auto pagamento pelo cliente).

Uma segunda área na qual a RFID tem feito progressos é na qualidade dos sistemas de RFID. Há muitos novos produtos interessantes, mas alguns que vêm à mente são a tag flexível para artigos de metal da Xerafy, a tag de 0,05 polegadas de espessura da Omni-ID e a solução tudo-em-um-leitor com tecnologia GPS e celular para transmitir os dados de temperatura, da Intelleflex. A Intel, trabalhando com a Impinj, desenvolveu um projeto para ligar chips RFID aos microprocessadores, o que pode dar início à adoção de RFID pela indústria de eletrônicos de consumo.