RFID Estudos de Caso

RFID ajuda o Xplor Action Park a fotografar seus visitantes

Etiquetas EPC incorporadas em capacetes de segurança identificam cada indivíduo por meio de leitores instalados em cavernas, ao longo de rios e em topos de torres

Por Claire Swedberg

1 de junho de 2012 - Quando o Xplor, um parque de aventura mexicano localizado na Riviera Maya, estava sendo construído há quatro anos, o gerente de fotografia do parque Felipe Lorenzo enfrentou um desafio: como projetar um sistema que pudesse tirar dezenas ou centenas de fotos de cada um dos visitantes dos parques em ação, sem fazê-los parar e dar seus nomes.

O parque conta com dois circuitos de tirolesa, dois circuitos para veículos anfíbios, um rio subterrâneo para nadar sob as estalactites e dois outros rios subterrâneos para remar em jangadas. Lorenzo queria desenvolver uma tecnologia automatizada para que um hóspede fosse simplesmente reconhecido, fotografado e, depois disso, receber as imagens para poder então comprar no local ou online, ao voltar para casa.

A equipe de Lorenzo, liderada por Quetzal Chilian, chefe de novos projetos do parque, desenvolveu uma solução que inclui etiquetas passivas de identificação por radiofrequência embutidas nos capacetes de segurança dos visitantes, bem como sensores óticos e leitores instalados perto de câmeras automáticas com um sistema de software que identifica o momento ideal para fazer uma fotografia. Em seguida, o sistema armazena a imagem juntamente com os registros do próprio indivíduo.

Felipe Lorenzo, com um capacete RFID debaixo do braço

O Departamento de TI do Xplor, que forneceu o software e sua integração, percebeu que o ambiente do parque tem ritmo acelerado e que os visitantes ficam em movimento mais do que parados, o que não seria sempre favorável à fotografia. As câmeras teriam de capturar imagens no momento em que o visitante salta com a tirolesa de uma torre ou passa através de uma caverna. Seria um desafio para o pessoal do Xplor capturar snapshots no momento certo e relacionar cada foto com o respectivo cliente. Assim, como os participantes usam capacetes para proteção, a equipe viu uma oportunidade de usar o próprio capacete para acompanhar cada visitante pelo parque.

O Xplor tem 1.800 capacetes de segurança, dos quais 1.000 são para uso em qualquer dia. Três tags RFID passivas Squiggle, da Alien Technology, EPC Gen 2 UHF, foram incorporadas sob o enchimento de cada capacete e permanece invisível para os usuários.