RFID Estudos de Caso

Monongahela Valley Hospital associa registros médicos a um sistema de localização em tempo real (RTLS)

O software de gestão Meditech do Departamento de Emergência foi integrado com a solução de RFID para gerenciamento de pacientes, da Awarepoint, com o objetivo de obter a localização de cada paciente, seu estado de saúde e tratamento

Por Claire Swedberg

21 de novembro de 2011 - O Monongahela Vale Hospital (MVH), da Pensilvânia, integrou seu sistema baseado em RFID, para gerenciamento de pacientes, e o software de gestão do Departamento de Emergência, a fim de tornar o tratamento de pacientes mais eficiente, colocando mais dados nas mãos dos membros da equipe de saúde, sem exigir que eles tenham de inserir informações nos sistemas.

A integração dos dois recursos permite que os funcionários, usando apenas uma interface de software, obtenham dados sobre, não apenas as áreas pelas quais os pacientes passaram e quando, mas também sobre os seus sintomas, diagnósticos e todos os resultados de exames de diagnóstico.

O MVH conta com 226 leitos, serviço completo de atendimento e uma equipe de 220 médicos, divididos em grupos de mais de 40 especialidades. O hospital instalou um equipamento de localização em tempo real (RTLS) da Awarepoint, em 2005, para localizar pacientes de modo automatizado e realizar o monitoramento de status usando crachás RFID, que são portados tanto por funcionários como também pelos internos.

O hospital também implantou o software AwareEDTracker, da Awarepoint, para armazenar dados sobre a localização dos pacientes e funcionários, bem como de qualquer pessoa com quem eles podem ter encontrado. Por exemplo, que determinado paciente estava em contato com um determinado atendente de saúde e por quanto tempo. O AwareEDTracker ajuda o hospital a gravar o fluxo dos pacientes, identificar os gargalos e ajudar a equipe a determinar, em tempo real, onde os pacientes de emergência estão localizados, por exemplo, esperando em uma sala de exame ou em fase de testes de diagnóstico em um laboratório.


Tony Marsico, da Awarepoint
Com a solução de RTLS em funcionamento, quando um paciente de emergência entra para atendimento, o hospital coloca no indivíduo uma etiqueta (tag) ativa de 2,4 GHz de RFID, da Awarepoint. A tag é fixada na roupa do paciente e transmite seu número de identificação, pelo protocolo ZigBee, para os leitores instalados por todo o edifício.

Os leitores, também conhecidos como pontos de acesso, recebem os dados de outros pontos de acesso nas proximidades, até que a informação seja recebida por um gateway conectado a um computador, que relaciona os dados de localização e os números das etiquetas de identificação com auxílio do software da Awarepoint. O software pode, então, determinar a localização exata da pessoa, inclusive a cama em que está alocada.

Ao longo dos últimos anos, o hospital também havia começado a utilizar o software da Meditech, para gestão de informações de saúde, permitindo que os funcionários insiram dados clínicos de cada paciente em todos os departamentos por onde passar.