RFID Estudos de Caso

Conferência melhora fluxo de participantes

Com base nos dados coletados durante o evento, informa Meredith, a CDCA entendeu que os participantes passam do salão principal para a sala de exposições durante os horários apropriados. A CDCA também descobriu que a frequência do almoço foi quase a mesma que no evento de 2016.

"Ao usar os dados de RFID de 2016, conseguimos tomar decisões conscientes em 2017, o que nos permitiu melhorar", diz Meredith. O grupo agora tem mais interessados em patrocinar em 2018 do que nos últimos anos.

A PTS ofereceu à ClearStream amostras, sem custos, para empresas como integradores criando uma nova solução. "Não custa nada para experimentar o nosso software", diz Brad Horn, CEO da PTS. Além disso, implementações como a ProSoDel oferecidas são os tipos de projetos que o PTS espera ver mais. "É surpreendente o que vemos que os usuários finais fazem com essa tecnologia - é limitado apenas pela criatividade", afirma. "Clientes como este ajudam a empurrar a tecnologia na direção que queremos ir".

Com os olhos para o futuro, Meredith diz: "estamos nas fases de planejamento inicial para a nossa cúpula de dezembro de 2018. Provavelmente continuaremos a usar a tecnologia RFID, como fizemos nos últimos dois anos". No entanto, observa, a organização pode explorar melhores locais para instalações de scanner e planeja rever os detalhes demográficos de quem participa e de quais sessões. "Nós também discutimos como os dados coletados podem nos ajudar a entender melhor os interesses dos membros atuais e potenciais do CDCA".