RFID Estudos de Caso

Mina italiana garante segurança de trabalhadores

Solução Bluetooth Low Energy (BLE) rastreia pessoas para garantir que nunca entrem nas proximidades de explosões programadas

Por Claire Swedberg

23 de janeiro de 2018 - A empresa de mineração europeia Sibelco está empregando a tecnologia Bluetooth Low Energy (BLE) em sua mina de quartzo na Itália, para assegurar que seus trabalhadores estejam fora de perigo quando detona explosivos. A solução consiste em gateways BLE em cada entrada e saída, beacons usados por mineiros e um software que emite alertas para a administração se alguém estiver perto de uma explosão programada. A BluEpyc forneceu a solução.

A BluEpyc é a unidade de negócios da empresa de tecnologia italiana Softwork Group, que se concentra em tecnologias sem fio, especialmente Bluetooth Low Energy. A outra unidade de negócios da empresa é a RFID Global by Softwork. A empresa de três anos fornece soluções BLE no que chama de maneira não convencional, pois emprega beacons móveis que transmitem dados para receptores (normalmente os beacons são fixos e usam um telefone celular como receptor). Isso explica Massimo Damiani, fundador e CTO da BluEpyc, fornece uma solução semelhante à RFID ativa, mas a um custo menor e com uma instalação mais simples.

Mina de quartzo da Sibelco, na Itália
O sistema empregado na mina da Sibelco garante que os trabalhadores possam ser automaticamente reconhecidos à medida que se movem dentro e fora da instalação, sem parar no portão, eliminando assim os atrasos relacionados à verificação de identificações e quaisquer erros potenciais. A Sibelco existe desde 1872, quando extraia areia de sílica de depósitos de Flandres para as empresas produtoras de vidro da Bélgica. A empresa agora opera mais de 200 sites de mineração em 40 países. Entre eles está a mina de quartzo, usado em produtos cerâmicos.

Massimo Damiani
A empresa utiliza explosivos para separar o quartzo durante a extração e transporta o mineral para o vale em um transportador de 2 quilômetros, onde pode ser processado para clientes. A área de produção abrange 1 milhão de metros quadrados e explosivos podem ser detonados por todo o local. Isso torna desafiador para a mina garantir que ninguém esteja involuntariamente dentro de uma área da explosão.

Tradicionalmente, a empresa usava um portão trancado fisicamente para controlar quem entra e sai da área de pedreira. Em um dia normal, há 20 trabalhadores no local. Quando um veículo chega com três ou quatro trabalhadores a bordo, um mineiro que representava o grupo deve sair e abrir fisicamente o portão com uma chave. Ao mesmo tempo, esse indivíduo usa um telefone celular para ligar para o escritório e alertar especificamente sobre quais mineiros estavam no veículo. O mesmo processo ocorre quando deixam o local.