RFID Estudos de Caso

Resorts de esqui adotam RFID para pagamentos

Nas instalações HF existentes e novas, os bilhetes de teleférico geralmente vêm com um chip RFID e antena embutida para acesso direto ao elevador. Os usuários podem comprar ingressos online, depois levá-los na entrada do resort. O número de identificação exclusivo codificado em cada bilhete se relaciona às informações de pagamento e acesso do titular do bilhete, sem exigir um recibo de pagamento nos teleféricos.

Em alguns casos, os resorts incluem uma foto de referência de cada esquiador, que é armazenada juntamente com a conta de cada indivíduo. A Skidata oferece seu próprio software para gerenciar os leitores e os dados de leitura coletados, que podem residir em um servidor local ou um kit de desenvolvimento de software (SDK) para resorts.

Quando os esquiadores chegam ao teleférico, seus bilhetes podem ser lidos por um leitor de porta a uma distância de aproximadamente 30 centímetros. Os bilhetes provaram funcionar bem, diz Keefe, quando em bolsos ou sob outras peças de vestuário, como jaquetas, mesmo quando molhadas. Se um indivíduo relacionou uma imagem à sua conta, os operadores de elevador do resort podem ver a foto quando o bilhete passa pelo portão e, assim, reconhecer visualmente a autenticidade do indivíduo.

No caso de soluções de pagamento, como a que está sendo implementada pela Panorama Mountain, a identificação (ID) da etiqueta RFID codificada no ticket de elevador está vinculada a pré-pagamentos feitos pelo esquiador, tanto online como por telefone. O usuário pode carregar o bilhete com uma quantia específica de dinheiro e, em seguida, utilizá-lo para fazer pagamentos. O ID da etiqueta também pode ser vinculado diretamente a um cartão de crédito. A tecnologia não só oferece conveniência para esquiadores, mas também permite uma maneira de os resorts se envolverem com os hóspedes.