RFID Estudos de Caso

Fazenda corta consumo de água em 30% com IoT

O sistema adotado na Nova Zelândia permite que um produtor de gado, ovelha e vegetais controle remotamente a irrigação e as condições das culturas, a todo momento

Por Claire Swedberg

2 de agosto de 2017 - A empresa de tecnologia de agricultura da Nova Zelândia WaterForce está fornecendo um sistema de gerenciamento de água e irrigação baseado em Internet das Coisas (ou IoT, do inglês Internet of Things) para fazendas, usando tecnologia de sensores e software da Schneider Electric, em plataforma Microsoft Azure e Azure IoT. A tecnologia, adotada este ano pela Blackhills Farm, reduziu o consumo de água em 30%, de acordo com a Schneider Electric.

O sistema SCADAfarm consiste em uma plataforma de software baseada em nuvem que captura e gerencia dados de sensores sem fio e estações meteorológicas para ajudar a acompanhar as condições de tempo e, assim, ajustar o uso da água. Desde que foi colocado em operação, segundo a fazenda, o sistema reduziu não apenas o consumo de água, mas também os custos de energia em 50%. Com a tecnologia, a Blackhills Farm pode determinar o nível de umidade no solo e ar, as condições da água e ajustar a operação de irrigadores, bombas e sprinklers para cada cultura.

Saadi Kermani, da Schneider Electric
A Schneider Electric fornece o SCADAfarm com produtos e controle de borda EcoStruxure IoT, além do software EcoStruxure IoT para gerenciar dados. A WaterForce tornou esses elementos interoperáveis, informou a empresa e os combinou com suas próprias tecnologias de gerenciamento de água para criar uma solução destinada a ajudar os agricultores a controlar, monitorar e registrar a irrigação e o desempenho das águas residuais, explica Saadi Kermani, gerente global de desenvolvimento de negócios da Schneider Electric para informação industrial e gestão de ativos. A Schneider começou a oferecer sua tecnologia para soluções de agricultura baseadas na nuvem há aproximadamente 18 meses, diz Kermani, e a empresa já desenvolveu parcerias em todo o mundo, incluindo a com WaterForce que levou à SCADAfarm.

Tradicionalmente, os agricultores da Nova Zelândia (e na maior parte do mundo) baseiam-se nas previsões meteorológicas e no acompanhamento físico das condições quando se trata de tomar decisões sobre a irrigação. Isso muitas vezes leva ao uso excessivo de água. Não só a própria água é cara para os agricultores, mas em muitos locais (incluindo a Nova Zelândia), os agricultores devem atender aos requisitos do governo local em relação ao seu consumo. Além disso, o impacto ambiental do uso excessivo de água tem ramificações globais. Portanto, a Blackhills Farm adotou a abordagem de agricultura de precisão do SCADAfarm para detectar, em tempo real, exatamente quanta água é necessária, bem como quando e onde.

A Blackhills Farm inclui mais de 400 hectares de terra para 2.100 cabeças de gado e 800 de ovelhas. A fazenda cultiva couve e beterraba, bem como 70 hectares de colheita verde para seus animais. Para irrigar essas culturas, a fazenda usa um sistema de irrigação de pivô central composto por equipamentos motorizados de 700 metros de comprimento, com seções de tubulação (equipadas com sprinklers múltiplos) que rodam em torno de uma colheita para fornecer rega. Pivots podem ser controlados remotamente.