RFID Estudos de Caso

Mineradora gerencia movimento de caminhões

A Longcliffe Quarries, do Reino Unido, usa solução RFID para identificar e autorizar motoristas à medida que entram em suas instalações

Por Claire Swedberg

24 de novembro de 2016 - Ao longo do ano passado, a companhia de minerais do Reino Unido Longcliffe Quarries passou a empregar a tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID) para gerenciar movimentos de veículos dentro e fora de sua propriedade. Ao fornecer uma etiqueta RFID passiva de baixa frequência (LF) para cada motorista, bem como instalar um leitor RFID no portão, a empresa diz que pode identificar cada veículo que chega, exibir instruções ao motorista e alertar os operadores de equipamentos de carga que o caminhão está chegando, bem como o produto que o veículo carregará.

A solução, incluindo hardware e software que gerencia os dados de leitura coletados, foi fornecida pela Command Alkon, empresa dos Estados Unidos de soluções integradas para produtores de materiais de construção.

No portão de entrada da Longcliffe Quarries, um motorista de caminhão coloca uma placa RFID perto de um leitor ProxPoint Plus da HID Global para receber autorização e prosseguir, bem como instruções indicando onde o veículo deve pegar sua carga
A Longcliffe fornece carbonato de cálcio de alta pureza, pó de calcário, grânulos e agregados. E vende até 100 produtos diferentes para uma variedade de aplicações, incluindo materiais de construção, alimentação animal e paisagismo, e ingredientes para plásticos, borracha, vidro e cerâmica.

É uma instalação muito ativa, informa a empresa. Normalmente, a pedreira recebe 200 visitas diárias de caminhões basculantes e petroleiros pressurizados - e alguns veículos podem retornar para seis ou sete cargas em um único dia. Alguns dos veículos são de propriedade da Longcliffe, enquanto outros pertencem a empreiteiros privados.

Desde 2011, a Longcliffe Quarries vem usando o software Command Alkon para gerenciar o despacho de seus próprios veículos, bem como caminhões terceirizados, gerenciamento ou força de trabalho no local e distribuição de materiais, de acordo com Clare Roobottom, coordenadora de vendas da Longcliffe. Aproximadamente 18 meses atrás, a empresa começou a investigar maneiras pelas quais o uso do software poderia ser expandido para automatizar o movimento do tráfego em suas instalações.