RFID Estudos de Caso

Empresa valoriza atividade da marcenaria

A American Woodmark utiliza tags de RFID UHF para gerenciar processos de manufatura, inventário e serviço ao cliente

Por Samuel Greengard

24 de fevereiro de 2016 - A American Woodmark fabrica e distribui armários de cozinha e variedades para o mercado de construção de casas. A empresa fabrica gabinetes de cinco grandes marcas. É complexo e difícil a tarefa que requer um controle preciso de materiais, pedidos e visibilidade durante todo o processo para evitar erros que podem resultar em atrasos para os clientes.

Durante os últimos anos, "nós apreciamos o aumento das vendas e adicionamos linhas de produtos para satisfazer as últimas tendências no mercado", diz David Johnson, gerente de projeto e tecnologia de materiais da American Woodmark. "Como o negócio cresceu, tivemos de encontrar uma maneira mais sofisticada para gerenciar processos de inventário e manufatura".

Um funcionário opera um carrinho para contagem
No centro do desafio, a Woodmark precisaria de controlar portas de armário e frentes de gaveta. A empresa oferece mais de 500 estilos (mais de 135.000 unidades de manutenção de estoque ou SKUs). Por design, não têm qualquer identificação no bordo, rótulos descritivos ou códigos de barras. "Os clientes querem uma aparência limpa em suas portas e frentes de gaveta, e não um monte de rótulos", explica Johnson.

Os funcionários identificam os componentes de face pelo sistema de planejamento de recursos empresariais (ERP). "A curva de aprendizagem foi significativa, o processo foi lento e o sistema estava propenso a erros", observa Johnson. Isso resultou em uma taxa de erro elevadaem torno de 6%, o que, por sua vez, levou a erros de precisão de inventário que tiveram um impacto negativo sobre o serviço ao cliente.

Para fazer face a este desafio, a American Woodmark começou a implantar um sistema de identificação por radiofrequência (RFID), em 2010, e continuou a expandir a tecnologia ao longo do tempo. A empresa agora usa etiquetas RFID nas portas de armário e frentes de gaveta em sete instalações: duas nos EUA e em dois fornecedores internacionais. A empresa consome atualmente 9 milhões de inlays RFID por ano, e como a demanda por armários aumenta, Johnson espera que este número continuará a crescer. Em 2014, diz: "Nós batemos o ponto de inflexão, onde os benefícios e economias de custo excederam o nosso desembolso de recursos".