RFID Estudos de Caso

RFID captura ação em tirolesa no Havaí

O Princeville Ranch Adventure Tours usa a Snapsportz, uma solução automatizada de fotografia, para aumentar a receita e melhorar o serviço ao cliente

Por Samuel Greengard

27 de novembro de 2014 - Desde que as câmeras de smartphones passaram a mudar o modo como as pessoas documentam suas atividades, eventos e compartilham imagens, "muita gente passou a desejar imagens de alta qualidade que superem as que podem obter com seus telefones ou câmeras automáticas", diz Ben Kottke, que trabalha como fotógrafo de esportes radicais e diretor de fotografia a partir de 2001. Kottke, como muitos fotógrafos profissionais, muitas vezes se viu pendurado em montanhas e seguindo rios e estradas, em busca de registrar suas próprias imagens. Em muitos casos, os fotógrafos tiram fotos usando lentes do tipo grande angular de alta resolução e posteriormente alguém corta e amplia as imagens digitais para mostrar detalhes específicos.

Há cerca de sete anos, afirma Kottke, "eu percebi que não era necessário estar fisicamente presente para tirar fotografias. Era um desperdício de tempo, dinheiro e recursos humanos". Ao pesquisar tecnologias para um sistema automatizado de fotografia, ele descobriu que alguns resorts de esqui estavam começando a utilizar identificação por radiofrequência (RFID) para rastrear os esquiadores e gerenciar suas subidas. "Eu percebi que poderia usar RFID para ser substituído e, assim, aumentar o número de pontos de vista fotográficos", diz.

Os visitantes podem usar o sistema para tirar fotos de si mesmos na tirolesa e ver depois
A ideia de Kottke evoluiu para a Mídia Snapsportz, uma solução RFID que automatiza o processo de captura de imagens. As etiquetas RFID foram fixadas em itens de uso pessoal – como roupas, capacetes e pulseiras – e são interrogadas por leitores de RFID conectados a câmeras posicionadas estrategicamente e a um computador. A empresa, sediada em Maui, no Havaí, vende as imagens digitais e torna mais fácil para os clientes publicá-las em sites de mídia social.

Durante o inverno de 2009, Kottke e uma equipe de desenvolvedores montaram um protótipo do sistema em Powder Mountain, uma estância de esqui situada a leste de Éden, em Utah. O objetivo era vender imagens digitais online para snowboarders e esquiadores dentro do parque. Esse projeto durou de dezembro a março de 2010. No verão daquele ano, Kottke começou a comercializar o sistema para eventos esportivos.

Em 2012, a Snapsportz lançou um sistema totalmente adaptado ao ambiente desafiador da tirolesa de Princeville Ranch Adventure Tours, em Kauai, que também oferece caminhadas e passeios a cavalo para mais de 25.000 turistas por ano. O sistema serve como base tecnológica para outras implantações; a empresa customiza projetos baseados nas necessidades dos clientes. A Snapsportz estabeleceu uma parceria de mídia social com a Nike Action Sports para fotografar competições de snowboard e outros eventos de esportes radicais.

"O objetivo é proporcionar uma experiência mais intensa para o participante", diz Kottke. "Não é só tirar uma foto. Mas registrar toda a experiência por meio de uma série de cliques. Estamos tentando replicar o trabalho de um fotógrafo profissional, sem que este tenha de ficar pendurado em uma montanha ou de plantão em toda a rota da tirolesa, tirando fotos de todo mundo. A tecnologia atinge uma dimensão totalmente nova, porque cria uma melhor maneira de registrar as ações, com fotos de alta resolução".