RFID Estudos de Caso

Cooperativa agrícola rastreia produção de tomates

Empresa espanhola implanta solução de gerenciamento de inventário em seu armazém e melhora eficiência dos serviços ao cliente

Por Bob Violino

27 de fevereiro de 2014 - A Granada La Palma SCA, localizada na província de Granada, no sudeste da Espanha, produz e vende frutas frescas e legumes, e afirma ser a maior produtora mundial de tomate cereja. A cooperativa conta com um grupo de mais de 600 agricultores profissionais e seus principais mercados são Reino Unido, França, Alemanha e países escandinavos, além da própria Espanha.

A missão da empresa é entregar um suprimento constante de frutas e vegetais frescos para os clientes, o que exige ter um bom controle sobre o estoque de produtos e processos da cadeia de suprimentos. Para gerenciar melhor seus produtos, a Granada La Palma implantou uma solução de gerenciamento de inventário com RFID, em setembro de 2013, conhecida como Fruttec, fromda Ériddes Informática Industrial, também com sede na Espanha.

A empresa implementou uma solução para gerenciamento de inventário com RFID, para melhorar a eficiência do rastreamento de tomates
Antes de implantar a RFID, a Granada La Palma rastreava pallets e caixas cheias com tomate cereja por processos manuais ou scanners de código de barras, que eram ambos sujeitos a erros humanos, de acordo com Domingo Rodriguez, gerente de operações da empresa. O sistema de código de barras teve uma série de inconvenientes, diz ele, como o alto custo operacional, a falta de precisão e total baixa confiança entre a administração da empresa e os clientes.

"O sistema de código de barras produzia erros humanos frequentes", atesta Rodriguez. "Os custos operacionais foram elevados, pois cada lote de frutas precisava de uma etiqueta de código de barras diferente". Além disso, os danos das etiquetas devido ao ambiente de trabalho levava a erros de leitura.

Leitores RFID e antenas identificam pallets etiquetados na entrada do armazém
"O processo de controle de qualidade era muito complicado e trabalhoso", acrescenta Rodriguez. "A leitura automatizada era difícil e identificar ações por localização no armazém era impossível com este sistema". Soma-se a isto que a solução não estava integrada com o ERP da empresa, por isso, não poderia ser aproveitado para fins de gestão de estoque e planejamento da produção.

A solução RFID rastreia os tomates do armazém frio, onde são armazenados temporariamente, até a linha de produção, onde são separados e embalados para os clientes. Finalmente, monitora o movimento dos tomates na área de logística, na expedição para os clientes.