RFID Estudos de Caso

Marks & Spencer roda RFID em todas as suas lojas

A varejista britânica está atualizando sua tecnologia de identificação por radiofrequência enquanto coloca tags em todas as suas roupas e bens duráveis

Por Bob Violino

15 de abril de 2013 - A Marks & Spencer (M&S) é um dos principais varejistas do Reino Unido, com 760 lojas e mais de 21 milhões de pessoas visitando seus estabelecimentos de varejo a cada semana, para fazer compras de roupas de alta qualidade, produtos para o lar e alimentos. A empresa também é pioneira no uso de identificação por radiofrequência. Em 2001, a M&S começou a fixar etiquetas reutilizáveis de RFID em bandejas de comida, para rastrear as entregas de alimentos frescos entre seus fornecedores e centros de distribuição e para determinar o quão bem a tecnologia funcionava. Funcionou tão bem, relata a empresa, que cerca de 10 milhões de bandejas de comida etiquetadas com RFID são usadas na cadeia de abastecimento da M&S, que também controla bandejas contendo flores frescas e plantas.

Todos os fornecedores gravam informações nas tags sobre o conteúdo e datas de validade dos itens nas bandejas. As etiquetas são lidas na entrada dos depósitos e são utilizadas para assegurar a transferência rápida de mercadorias novas para as lojas da M&S. Tabuleiros vazios são devolvidos aos fornecedores para a lavagem e depois são reutilizados e recodificados.

Marks & Spencer está atualizando sua tecnologia de RFID para etiquetar todo o seu vestuário e também bens duráveis

Baseados no sucesso desta implantação inicial, os executivos da M&S descobriram que a RFID tem potencial para rastrear o estoque de suas lojas. Em 2004, a varejista lançou um esforço grande de RFID, com a implantação de um sistema para etiquetar e acompanhar alguns itens de vestuário em vários locais. O teste, parcialmente financiado pelo Departamento de Comércio e Indústria do Reino Unido, como parte do programa New Wave Technology, envolveu a etiquetagem de cerca de 10.000 itens, entre ternos, camisas e gravatas. A RFID também se provou funcional neste caso e a empresa tem expandido a implantação em suas 550 lojas no Reino Unido desde então para outros tipos de roupas, como calças masculinas formais e casuais, jaquetas e camisas, bem como malhas para senhoras, casacos e calças.

Cerca de um ano e meio atrás, os executivos da empresa decidiram que era hora de expandir o uso da tecnologia RFID para incluir bens domésticos, como roupas de cama, acessórios e utensílios de cozinha. A M&S vai substituir seus sistemas com a mais recente tecnologia RFID, incluindo tags para leitura e escrita no padrão EPC Gen 2 e novos leitores. "A tecnologia avançou por aqui e continua evoluindo", diz Kim Phillips, líder da área de empacotamento da M&S. A empresa prevê resultados maiores em termos de retorno sobre o investimento (ROI) com os novos sistemas, diz.

Segundo Phillips, os planos para expandir RFID dentro da empresa são tão significativos que a M&S agora vê suas implantações iniciais como longos "programas-piloto", servindo como uma prévia para o que será um esforço estratégico importante para alavancar a tecnologia. A empresa começou a implantar tags Gen 2, no primeiro semestre de 2012. Agora está lançando o novo sistema em todas as suas lojas em 2013 e espera ter todos os novos leitores Gen 2 funcionando e todo o seu vestuário e bens duráveis etiquetados com RFID até o primeiro semestre de 2014.