RFID Artigos

RFID é solução para vendas multicanais

Visibilidade de estoque e movimentação de mercadorias em tempo real viabilizam o Omni-channel, aumentando em média 6% do total de vendas de usuários da ferramenta

Por Wagner Bernardes

27 de abril de 2017 - A tecnologia RFID, foi destaque nos principais relatórios e eventos destinados ao varejo em 2017. Das várias tecnologias apresentadas na NRF ao relatório “Critical” da RIS (Retail Info Systems), informando que a total acuracidade de controle de estoque é uma realidade, o RFID é considerado como a tecnologia que vai apoiar as estratégias de vendas multicanais, permitindo que as empresas misturem vendas online com vendas físicas sem perder o controle da movimentação dos produtos, podendo tirar indicadores importantes a partir das informações dessas transações.

A gigante americana Macy’s, por exemplo, anunciou que pretende ter todos os seus produtos “chipados” com sensores RFID até o final de 2017, acompanhando essa tendência de mercado. Com uma boa avaliação dos especialistas e adoção rápida dos varejistas, você entende como a adoção do RFID pode mudar o varejo mundial?

Primeiramente é necessário entender que como qualquer tecnologia da “era da informação”, o RFID é um sistema escalável. Isso quer dizer que qualquer projeto que é orientado por essa solução deve ser entendido como uma questão de longo prazo, que pode ser usado para solucionar problemas emergenciais, mas deve contar com “saídas” para um avanço de sistema.

O que se observa no mercado hoje são investimentos em controle de movimentação de produtos, que visam maior controle de estoque. Segundo o “2017 Retail Vision Study”, pesquisa global apresentada pela Zebra™, as empresas que utilizam sensores RFID em seus produtos tem em média 95% de acuracidade de produtos em seus estoques.

Esse controle total impacta diretamente em um dos maiores problemas do varejo, a ruptura, mostrando números interessantes: segundo o mesmo relatório, os varejistas que adotaram essa solução reduziram de 60% a 80% seus níveis de produtos ‘fora do estoque’, aumentando em 6% o número total de vendas, além de aumentar o número de produtos vendidos em 16% por transação.

Com números que impressionam, os varejistas mais “maduros” mostram que esse controle de produtos é só o começo: a Lululemon, varejista americana de vestuário, deu visibilidade de seu estoque para seus clientes, garantindo que o consumidor tivesse real informação da disponibilidade do produto online ou em uma loja mais próxima, criando a opção de escolha para esse consumidor.

Também nos Estados Unidos, as lojas Rebecca Minkoff, outro varejo de roupas, adotou espelhos RFID inteligentes que reconheciam os produtos que estavam sendo provados e ofereciam acessórios complementares a cada roupa, personalizando a experiencia de compras de seus clientes.

Para o varejista brasileiro, fica a lição de que não é necessário se montar um grande parque tecnológico para ter grandes benefícios com esse tipo de tecnologia. Com a redução de custos desses sensores, já é possível o mercado nacional entender que o controle quase total da movimentação de seus produtos permite ao varejista conhecer melhor seus clientes, oferecendo a melhor opção de compra, podendo melhorar o manejo de estoque, controle de demanda e gestão de preços sem deixar de lado o foco na satisfação do cliente.

Wagner Bernardes, CEO da Seal Sistemas

  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »