RFID Artigos

Por que implantar RFID nos CDs

Poucos Centros de Distribuição (CDs) estão colhendo benefícios da RFID. Veja como você pode atingir estes objetivos

Por Doug Harvel

17 de março de 2015 - A maioria dos Centros de Distribuição (CDs) nos dias de hoje são obrigados a enviar os artigos que carregam inlays RFID para os clientes, mas poucos estão colhendo os benefícios que podem ser obtidos a partir de utilização da identificação por radiofrequência (RFID) no software de sistema de gestão de armazém (WMS). Com o aumento da demanda por RFID, a maioria dos CDs têm algum tipo de método para reimpressão ou codificação de etiqueta de substituição, quando necessário. Alguns também estão realizando verificações de etiquetas RFID (inlays integrados com o rótulo).

O RFID Lab, da University of Auburn, publicou vários trabalhos que ilustram o valor do uso da RFID para manter o estoque correto e os níveis de produtos em um Centro de Distribuição. Algumas das primeiras áreas que vêm à mente no que diz respeito à implantação da RFID estão na recepção de mercadorias e transporte.

Se um Centro de Distribuição usa um transportador automatizado para receber remessas de produtos, um túnel de RFID sobre este transportador pode permitir que o CD identifique eventuais faltas (caixas de cartão que não são embaladas para atender aos requisitos do item). Em outros CDs, um transportador portátil é levado até a porta da doca para descarregar o caminhão. Neste exemplo, um painel de RFID pode ser instalado em cada porta, mas isso pode ser muito caro e criar problemas que envolvem erros de leitura. A melhor alternativa seria ter um túnel de RFID móvel sem fios pode ser temporariamente colocado em frente à porta em que o veículo será descarregado.

A área em que os maiores erros de inventário podem ocorrer é a área de pick-and-pack. Este é o lugar onde um empregado pode digitalizar um item, em seguida, dizendo ao sistema que está colocando múltiplos itens em uma caixa para serem enviados. Um trabalhador pode também colocar o item errado em uma caixa e o sistema achar que o item correto estava lá.

É claro que contagens de ciclo podem ajudar a reduzir a incidência de tais erros, mas o seu processo de contagem pode falhar. A RFID pode fazer isso muito melhor. Por exemplo, um leitor RFID pode ser montado acima da estação de trabalho de cada funcionário, onde são embalados os itens em caixas que serão colocadas em carrinhos. Se um artigo errado for colocado dentro de uma caixa, uma tela sinalizar problema. Se o item estiver correto, o sistema pode atualizar a quantidade na caixa e ajustar a contagem de inventário em tempo real. Em seguida, se o CD tem um sistema de transporte para mover as caixas, um túnel de RFID no transportador pode auditar cada embalagem. Isso permitirá garantir que as tags são codificadas corretamente e também verificar a serialização duplicada e testar a qualidade de cada inlay RFID.

Este é um grande benefício para as tags que são impressas e codificadas em uma impressora RFID, onde o inlay é codificado e testado quando está muito próximo do leitor. Embora a maioria das impressoras execute a verificação após a leitura de um inlay RFID, o processo de teste pode ser a uma distância de leitura curta. Um inlay também pode ser danificado ao ser anexado a um item, por isso, esta verificação adicional pode revelar-se bastante valiosa. Quando um item etiquetado é carregado em uma caixa identificada como leitura não realizada, codificando errado, com uma serialização duplicada ou um item errado (isso é determinado pela verificação do software WMS), a caixa pode ser desviada para uma área onde o problema pode ser corrigido antes que ele chegue à porta do seu cliente.